Niterói fecha novembro com saldo de 1.756 novos empregos de carteira assinada

Giovanni Mourão
·2 minuto de leitura
Fabiano Rocha / Agência O Globo

NITERÓI — Pelo quarto mês consecutivo, o número de contratações com carteira assinada superou o de demissões em Niterói. Em novembro, foram admitidos 1.756 trabalhadores na cidade, o melhor saldo para o mês em toda a série histórica, iniciada em 1992. No acumulado dos últimos quatro meses, entre agosto e novembro, o saldo é de 3.167 novos empregados. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia.

Em novembro, o setor que mais gerou empregos foi o comércio: 891, contra 694 no mesmo mês de 2019. O bom resultado também foi embalado pelos serviços, que admitiram 620 funcionários (no ano passado, 227). A indústria segue acumulando resultados positivos desde julho, e preencheu 151 postos de trabalho em novembro, número também superior aos 136 do mesmo período do ano anterior. A construção, por sua vez, empregou 95 pessoas, contra 69 demissões em novembro de 2019.

De acordo com Charbel Tauil, presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio de Niterói (Sindilojas), o setor está se recuperando melhor do que o previsto.

— O comércio está se recuperando melhor do que o esperado, está se estabilizando. Entretanto, acredito que o déficit causado pela pandemia só deve ser revertido em abril ou maio de 2020, até porque, no período de demissões, muitas empresas viram que não precisavam de tantos funcionários. A política do governo municipal para manutenção de empregos teve um valor significativo e evitou que os números fossem piores — pontuou Charbel, que acredita que o mês de dezembro tenha registrado um volume de contratações ainda maior.

Ano segue negativo

Os bons números representam uma retomada do mercado de trabalho após meses de demissão em massa: de janeiro até julho, 8.438 trabalhadores perderam o emprego na cidade. A consequência de tantos meses de demissões é o saldo anual de empregos ainda negativo, com 5.271 vagas fechadas no acumulado dos 11 primeiros meses de 2020.

Considerando todo o ano de 2020 (exceto dezembro), somente a indústria apresenta saldo positivo, com 407 admissões. A construção soma 332 demissões. Devido à paralisação de atividades econômicas durante parte da pandemia, o comércio e o setor de serviços, justamente os que apresentaram melhores números em novembro, acumulam 1.898 e 3.437 desligamentos ao longo de 2020, respectivamente.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)