Niterói registra geração de 323 empregos em fevereiro

Giovanni Mourão
·2 minuto de leitura

NITERÓI — Após registrar saldo de 43 contratações em janeiro, Niterói contabilizou, em fevereiro, 323 trabalhadores a mais no mercado. É o sétimo mês seguido em que a cidade apresenta saldo positivo na geração de empregos, assim como é o melhor resultado para fevereiro da série histórica, iniciada em 1992. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e representam o saldo de desligamentos e admissões.

Todos os setores econômicos contrataram mais do que demitiram. As 323 vagas foram preenchidas da seguinte forma: 122 no setor de serviços (2.105 contratações contra 1.983 demissões), 98 na indústria — que vem apresentando bons resultados mesmo durante a pandemia, gerando empregos desde julho — (309 a 211), 68 na construção (290 contra 222), 32 no comércio (981 e 949) e três na agropecuária (quatro a um), ramo com fraca atividade e baixa relevância no volume de empregos da cidade.

O saldo de fevereiro deste ano é similar ao do mesmo mês do ano passado, antes da pandemia, que contabilizou 332 admissões. Naquele mês, o saldo positivo foi quase exclusivamente alavancado pelos serviços, setor responsável por contratar 459 trabalhadores. A indústria somou 75 novos empregados, enquanto todos os demais setores da economia acumularam desligamentos: o comércio havia sido o mais afetado, com 150 vagas fechadas. Já a construção havia demitido 51 funcionários; e a agropecuária, um.

Além de aproveitar os resultados positivos iniciados no segundo semestre de 2020, o desempenho de fevereiro deste ano reflete os efeitos residuais do programa federal de manutenção do emprego e renda (BEm), que permitiu acordos de redução de jornada e suspensão de contrato, com previsão de estabilidade até março.

De agosto do ano passado — mês em que a cidade voltou a gerar empregos, após as demissões em massa provocadas pela paralisação de serviços e atividades econômicas em razão da pandemia — até fevereiro deste ano, Niterói acumula saldo de 4.090 empregos gerados.

O comércio foi responsável por 1.472 desses novos trabalhadores no mercado, enquanto a indústria contratou 1.112. Setor com o maior volume de trabalhadores na cidade, os serviços contrataram 1.095 pessoas no período; e a construção, 410. A agropecuária teve saldo positivo de somente uma vaga.

Apesar da melhora contínua desde agosto, o acumulado dos últimos 12 meses continua negativo. Ainda não foi possível reverter as milhares de demissões ocorridas entre março e julho de 2020. Daquele período até hoje, o saldo é de 3.950 desligamentos, estando apenas a indústria no azul, com 773 contratados. O setor de serviços demitiu 3.570; o comércio, 953; a construção, 192; e a agropecuária, oito.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)