Niteroiense lidera expedição de canoa de Arraial D’Ajuda, na Bahia, à Praia de Jurujuba

Leonardo Sodré
·2 minuto de leitura
Divulgação

NITERÓI — Liderados pelo niteroiense Douglas Moura, experiente remador de 39 anos, e pelo capixaba Ranin Thomé, seis atletas remadores e velejadores partiram na última quinta-feira, numa canoa havaiana V6 adaptada com vela, e chegarão a Jurujuba entre os dias 5 e 15 de janeiro, navegando pela costa de três estados. Eles integram a quarta edição da Expedição Anamauê, que promete ser uma das maiores navegações do Brasil neste tipo de barco.

Serão 17 paradas ao longo do caminho, quando os atletas poderão se alimentar, descansar e aproveitar o litoral. Eles saíram do clube Canoa Para o Povo, em Arraial D’Ajuda, na Bahia, em direção ao sul, com chegada prevista na sede do Centro de Estudos do Mar (CEM), na Praia de Jururuba, onde foi feito todo o planejamento logístico da travessia. Caso consigam superar o desafio, terão sido vencidas 650 milhas náuticas.

— O que mais me motiva é saber que vou chegar a Jurujuba, a praia onde eu moro, e comemorar do jeito que mais gosto: com os pescadores, comendo um peixinho frito — disse Moura, antes de sair para a expedição.

A tripulação planeja velejar de 30 a 35 milhas náuticas por dia. Dependendo do vento e das condições do mar, isso pode demandar de quatro a seis horas por dia de navegação, sem auxílio de aparelhos eletrônicos ou GPS. Eles estão levando na canoa apenas roupas, alimentação e colchões para dormir.

Sempre ligado às atividades no mar, Moura começou a remar em canoa havaiana há 15 anos. Ele conta que há quatro começou a se preparar para grandes expedições:

— Em 2017, fui de Niterói a Santos, numa viagem que durou dez dias. Depois, fizemos uma expedição passando por Ubatuba, Ilhabela e São Sebastião. Sem dúvida, esse agora é o nosso maior desafio.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)