No último dia do ano, Rússia ataca várias cidades ucranianas

Neste sábado, várias cidades ucranianas foram alvo dos bombardeamentos russos. Segundo o Chefe de Estado-Maior ucraniano, foram disparados 20 mísseis e 12 foram abatidos pela defesa aérea.

Em Kiev uma pessoa pessoa morreu e ficaram 20 feridas. Entre os feridos está um jornalista japonês, que estava hospedado num hotel atingido por um míssil.

Há também relatos de destruição e incêndios em Mykolayv, no sul, onde pelo menos duas pessoas foram feridas, e Khmelnytsky, no oeste, onde quatro pessoas ficaram feridas

Os confrontos mais violentos continuam no leste da Ucrânia. Segundo o chefe do departamento de inteligência do Ministério da Defesa ucraniano, o exército russo destruiu quase completamente a cidade de Bakhmut. Para Kirill Budanov, será mis fácil começar a construir do zero do que reconstruir a cidade.

Numa mensagem de ano novo, transmitida na televisão estatal russa, Vladimir Putin afirmou que "não vai ceder às tentativas do Ocidente de utilizar a Ucrânia como instrumento para destruir o seu país". Disse que a Rússia luta na Ucrânia para proteger a sua "pátria" e para obter "verdadeira independência" para o seu povo.