No Amapá, Bolsonaro anuncia MP para compensar moradores que sofrem com apagão há 19 dias

Victor Farias
·2 minuto de leitura
Reprodução/ TV Brasil
Reprodução/ TV Brasil

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro anunciou neste sábado que irá editar uma medida provisória para isentar consumidores do Amapá, devido ao apagão no estado que já dura 19 dias. Segundo o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, a isenção valerá por 30 dias anteriores à edição da medida. A data da edição, no entanto, não foi mencionada.

— Estamos na iminência de assinar uma mp para dar uma medida compensatória a todos os que foram prejudicados com essa falta de energia. então grande parte devemos a você essa iniciativa, além de outras, que se por ventura se fizerem necessárias, nós estamos prontos para atender o estado do Amapá — disse Bolsonaro.

A medida compensatória foi antecipada pelo GLOBO. Fontes a par do assunto indicam que a MP deve isentar da tarifa de energia elétrica os consumidores afetados pelo blecaute. O custo estimado em R$ 69 milhões será repassado à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), fundo destinado a políticas públicas do setor. Com isso, todos os brasileiros terão um acréscimo na conta de luz.

Bolsonaro viajou ao Amapá no começo da tarde de hoje, a convite do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Durante a tarde, o presidente e o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, visitaram as subestações Santana e Santa Rita, ambas em Macapá. Tratam-se de usinas termonelétricas que devem suprir parte da necessidade energética do estado.

Em publicação no Twitter, Alcolumbre afirmou que os dois irão "acompanhar o trabalho de restabelecimento da energia no estado". "Geradores da usina termoelétrica serão ativados. Soluções técnicas urgentes e trabalho em conjunto são necessários para devolver a luz aos amapaenses", completou, na rede social.

Desde o início do mês, a população local vem enfrentando problemas com a falta de energia elétrica. O problema foi causado por um incêndio em um dos transformadores da subestação de Macapá no dia 03 de novembro e até agora a situação não foi totalmente regularizada.