No ar em 'Laços de família', Júlia Almeida-Bailey volta ao Rio e abre espaço de moda, decoração e bem-estar

Lívia Breves
·2 minuto de leitura
Foto: Gabriel Valadão

julia almeida laços de familia manoel carlos 1.jpg

Foto: Gabriel Valadão

Quando a atriz e diretora criativa Júlia Almeida-Bailey saiu de Londres, onde vive há dez anos, e veio ao Rio passar um período de férias não imaginava que voltaria de vez para a cidade em que cresceu. Mas a sintonia foi tanta que ela resolveu ampliar sua marca, a Florita, criando uma casa para ela com todo o lifestyle que já faz sucesso na Europa.

“A produção sempre foi feita no Brasil. Veio a pandemia e tive que ficar de qualquer maneira. Mas logo percebi que era hora de voltar para ficar. Agora, inverti: vou passar a vida aqui e as férias lá”, conta a filha do autor Manoel Carlos.

Apesar de morar no Leblon, Júlia escolheu um endereço no Jardim Botânico (na rua Visconde da Graça, 43) para abrir seu novo negócio. Ali há novidades como uma linha home, com cerâmicas produzidas em parceria com Debora Bensusan, exposições de arte com curadoria de Victor Gorgulho (A primeira é a “Rio”, que reúne imagens dos fotógrafos: Bárbara Rosalinski, Ivan Nishitani, Javier Scian, Pedro Pinho e Ronaldo Rocha) e ainda uma agenda com talks, aulas e encontros ligados a temas como ioga, meditação, práticas de autocuidado, alimentação e terapias alternativas.

Outro foco será a sustentabilidade, que aparece nos tecidos e no desenvolvimento das peças e até nas propostas de serviço como o de costura e customização que estarão disponíveis na casa semanalmente.

“A pandemia fez com que eu passasse por uma transformação interna. Assim, reformulei a minha ideia do que seria o ateliê. Na moda, tenho sempre uma coleção anual e ainda uma cápsula. E, agora, há a chegada de itens que completam todo o universo e o estilo da Florita”, explica ela.

Aos 37 anos, Júlia já passou por diversas fases até decidir investir exclusivamente na moda. Atuou em novelas e minisséries, foi para Nova York estudar direção e fundou a revista The Mark Magazine, focada em comportamento.

“São fases que ajudaram na minha formação, mas que passaram. Tudo o que vivi reflete nas peças da Florita, uma marca que tem alma carioca. Sempre senti saudade desse lifestyle, assim como ter o mar e as florestas tão perto. Decidi que este ano quero estar mais em contato com a natureza e a cidade é perfeita para isso. Ela me cura”, conta Júlia.