No Brasil, 27% dos desempregados procuram vaga há mais de dois anos

No Brasil, 27% dos desempregados procuram vaga há mais de dois anos. REUTERS/Amanda Perobelli
No Brasil, 27% dos desempregados procuram vaga há mais de dois anos. REUTERS/Amanda Perobelli
  • Desempregados: dados foram divulgados pelo IBGE nesta quinta-feira;

  • Mais de 38 milhões de brasileiros vivem em lares em que ninguém tem emprego, nem informal;

  • Apenas 16,6% do total de desocupados está à procura de trabalho há menos de um mês.

A taxa de desemprego do Brasil recuou em seis das 27 unidades da federação no terceiro trimestre e ficou estável em outras 21 unidades. Na média nacional, foi de 8,7%.

Mas, ainda assim, 2,6 milhões de brasileiros – ou 27,2% do total de desempregados – buscam uma vaga de trabalho há dois anos ou mais. É o que mostra a pesquisa trimestral de emprego divulgada nesta quinta-feira pelo IBGE.

O desemprego de longa duração está se consolidando em patamares mais elevados no Brasil. No terceiro trimestre de 2021, a parcela dos desempregados que buscavam uma vaga há dois anos ou mais era de 24,9%, contra 27,2% agora. Em 2015, era de 16,9%.

A parcela dos desempregados que busca uma colocação em prazo superior a um ano e inferior a dois anos era de 11,7% no terceiro trimestre deste ano.

Quadro desolador: Mais de 38 milhões de brasileiros vivem em lares em que ninguém tem emprego, nem informal

Apenas 16,6% do total de desocupados está à procura de trabalho há menos de um mês. E outros 44,5% procuram em um prazo de um mês a um ano.

Bahia lidera em desocupação

Apenas seis unidades da Federação acompanharam a redução registrada na taxa de desocupação no país no terceiro trimestre frente ao 2º trimestre. As maiores taxas de desocupação foram da Bahia, Pernambuco e Rio de Janeiro. Já as menores foram em Rondônia, Mato Grosso e Santa Catarina.

Já na comparação com o 3º trimestre do ano anterior, houve queda na taxa de desocupação em todas as unidades da Federação.