No Brasil, rainha Elizabeth 2ª ganhou balangandã em Salvador e inaugurou Masp

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Aos 42 anos de idade e então com 15 anos de reinado, a rainha Elizabeth 2ª, morta nesta quinta-feira (8), aos 96 anos, esteve no Brasil. Às 16h15 do dia 1º de novembro de 1968, ela desembarcou no aeroporto de Guararapes, no Recife, para uma viagem de dez dias no país --a primeira e única.

Antes mesmo da chegada da rainha, o iate real Britannia, que levaria ela e o marido, o príncipe Philip, ao Rio alguns dias depois, já estava atracado no porto do Recife, escoltado por duas fragatas inglesas.

Segundo relato publicado pelo jornal Folha de S.Paulo à época, 4.000 homens foram destacados para a segurança do casal.

Também desembarcaram no Brasil, antes da chegada da chefe da realeza britânica, réplicas das joias da Coroa. Parte foi para Brasília, onde ficou exposta no posto de gasolina Valença --e poderia ser visitada ao preço de mil cruzeiros por pessoa--, e parte foi para São Paulo, ocupando uma sala no Teatro Municipal.

Elizabeth 2ª pousou no Brasil a bordo de um VC-10 da Força Aérea Real Britânica. Ela vestia as cores da bandeira brasileira: chapéu azul e um vestido verde e amarelo, descritos na Folha de S.Paulo como "muito sóbrios".

Do aeroporto, foi levada em um Lincoln preto, modelo 1935, usado apenas em ocasiões especiais, para o Palácio do Campo das Princesas. No trajeto de 14 km ao longo da praia de Boa Viagem, diversas pessoas agitavam bandeirinhas da Inglaterra e do Brasil e aplaudiam a rainha, que retribuía com acenos e sorrisos.

No palácio, Elizabeth 2ª foi recebida às escuras, pois um apagão atingiu o Recife. A iluminação do local precisou então ser feita com refletores das estações de TV, e uma estrutura foi improvisada no segundo andar do prédio, onde estava a rainha.

Naquele mesmo dia, ela e o marido foram para Salvador. A visita de três horas contou com uma passagem pelo Mercado Modelo, onde comerciantes ofereceram um balangandã de prata. Na sequência, a comitiva embarcou no iate real, que rumou para o Rio de Janeiro, de onde partiria depois para Brasília.

No quinto dia da viagem, o casal foi recebido na capital pelo então presidente Arthur da Costa e Silva, sob sol forte e temperatura que chegou a 32°C. Milhares de pessoas se acotovelaram para vê-los no Congresso, no STF e em todos os outros locais visitados --hotéis ficaram lotados de turistas que queriam ver membros da família real de perto. No Palácio do Itamaraty, eles foram recebidos com um banquete.

Em Brasília, tudo foi minimamente cronometrado para que não houvesse atrasos. Foram contados inclusive os passos da escada do avião até o local onde seria aguardada por Costa e Silva.

A rainha se disse admirada com a capital. "Em particular, impressionou-me a ideia traduzida na mais ousada e bela das arquiteturas, de se construir uma capital em torno dos três Poderes fundamentais do Estado: o Executivo, o Legislativo e o Judiciário", disse ela.

Em 6 de novembro, o casal real chegou a São Paulo, onde visitou o Monumento do Ipiranga, o Terraço Itália e passou a noite no Palácio dos Bandeirantes. Ainda durante o dia, Elizabeth 2ª circulou em um Rolls-Royce preto, e Philip, num vermelho. Eles passaram pelo Vale do Anhangabaú e seguiram pela avenida 9 de Julho, onde houve uma falha de segurança. Parte das pessoas que acompanhavam o cortejo rompeu o cordão de segurança. O carro da rainha seguiu pela avenida, mas o de Philip ficou bloqueado.

No dia seguinte à chegada, o jornal Folha de S.Paulo noticiou a passagem pela capital paulista sob o título "Uma rainha simples, sorridente e serena". Naquele 7 de novembro, Elizabeth 2ª e Philip participaram da inauguração do Masp (Museu de Arte de São Paulo), ao lado do prefeito Faria Lima e do governador Abreu Sodré.

Depois, seguiram para Campinas de avião. O último destino da viagem foi a visita ao Rio de Janeiro, aonde o casal chegou em 8 de novembro. A agenda oficial começou com um coquetel no Iate Clube e terminou com um jantar oferecido pelo casal real a cerca de 50 convidados a bordo do Britannia.

No dia seguinte, Elizabeth 2ª e Philip visitaram pontos turísticos como a praia de Botafogo e o mirante Dona Marta, e em 10 de novembro o casal assistiu a um amistoso no Maracanã, marcado especialmente para os convidados. Diante de 85 mil pessoas, a seleção paulista venceu a carioca por 3 a 2. No final, a rainha Elizabeth, ao lado do marido, entregou a taça a Pelé. No dia seguinte, eles embarcaram para o Chile.