No Catar com presidente da FIFA, Bolsonaro defende Copa do Mundo a cada 2 anos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Brazilian President Jair Bolsonaro (L)and FIFA president Gianni Infantino, pose for a picture at the Lusail Stadium, the 80,000-capacity venue that will host the FIFA World Cup final in December 2022, around 20 kilometres north of the Qatari capital Doha on November 17, 2021. (Photo by KARIM JAAFAR / AFP) (Photo by KARIM JAAFAR/AFP via Getty Images)
Presidente Jair Bolsonaro conversa com Gianni Infantino, presidente da FIFA, em Doha, no Catar. Foto: (KARIM JAAFAR/AFP via Getty Images)

Em visita ao país sede da próxima Copa do Mundo (2022), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) declarou suporte à ideia que vem sendo ventilada de reduzir o período entre Copas de quatro para dois em dois anos. Ao lado de Gianni Infantino, presidente da FIFA, e Hassan al-Thawadi, secretário-geral da Copa do Mundo do Catar, o mandatário brasileiro deu seu apoio.

Na chegada ao estádio de Lusail, que será o palco da grande final do Mundial do próximo ano, Jair Bolsonaro concedeu um breve pronunciamento sobre o tema: "Vou dar minha opinião como peladeiro. A Copa de dois em dois anos é bem-vinda, ajuda no aspecto econômico. Quatro anos talvez seja um pouco longo".

Leia também:

Infantino, também abraçado na questão econômica, é um dos grandes incentivadores da mudança de intervalo entre Copas do Mundo. A ideia, porém, não conta com apoio massivo da comunidade do futebol. Grande parte considera que haveria uma desvalorização do maior torneio de seleções.

Bolsonaro, corroborando o discurso de Infantino, ainda comentou sobre a possibilidade da realização de um Mundial de Clubes nos moldes de uma Copa do Mundo, com anos intercalados: "Veio uma proposta aí sobre o Mundial de Clubes, talvez nos mesmos moldes da Copa do Mundo, seriam 24 clubes, ou um pouco mais. De modo que sempre teríamos um ano de Copa do Mundo e outro de Mundial de Clubes".

O presidente da República, porém, ressaltou que estas são suas opiniões pessoais e não 'ordens' à CBF, que é soberana: "A CBF que vai dar o norte de como devemos prosseguir.".

Gianni Infantino, por fim, disse estar em processo de consulta com entidades parceiras e seus dirigentes sobre o processo de antecipação do período. O mandatário da FIFA não definiu um prazo para a tomada de decisão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos