No cinema, Pelé atuou com Os Trapalhões, Paulo Goulart, Nicete Bruno e até com Sylvester Stallone fora do Brasil

Nas telonas, Pelé já fez participações em alguns filmes, além das produções que foram feitas para contar a sua história no esporte e na vida pessoal. Recentemente, a Netflix lançou o documentário "Pelé". Mas antes, o público já tinha visto produções como "Pelé eterno", de 2004, que foi narrado pelo ator Fúlvio Stefanini e dirigido por Anibal Massaini Neto. Além de uma produção também documental da Rede Globo, chamada "Isto é Pelé", e lançada em 1974, quando ele ainda atuava como jogador.

Mas na ficção ele também marcou presença. Um dos destaques foi o filme "Os Trapalhões e o Rei do Futebol", de 1986, em que viveu o repórter esportivo Nascimento, em uma clara referência ao seu sobrenome. Ele foi ao cinema com o quarteto Renato Aragão, Dedé Santana, Mussum e Zacarias, além da modelo Luiza Brunet, que também atuou na trama escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares e dirigida por Carlos Manga.

Em 1972, pouco depois de ter conquistado o tricampeonato, Pelé fez tabelinha com o casal de atores Paulo Goulart e Nicete Bruno no filme "A marcha". O jogador interpretou o escravo Chico Bondade, que na luta pela abolição da escravatura ajudava outras pessoas escravizadas a fugir.

Em outra trama sobre momentos históricos, Pelé atuou também em um filme internacional, a produção norte-americana "Fuga para a Vitória", de 1982. Outros jogadores como o inglês Bobby Moore e o argentino Osvaldo Ardiles também estiveram no elenco, além dos atores Sylvester Stallone e Michael Caine. O filme conta a história de prisioneiros nazistas na Segunda Guerra Mundial.

Três anos depois, no filme "Pedro Mico", que se passava no Rio de Janeiro, Pelé interpretou um malandro carioca e foi dublado pelo ator Milton Gonçalves.

Já em "Os trombadinhas", de 1979, Pelé fez ele mesmo e teve um papel de destaque. Desta vez, ele também escreveu o roteiro, junto com Carlos Heitor Cony. Ele voltou a contracenar com o ator Paulo Goulart, que interpretou o Doutor Frederico, que ligava para o famosos jogador e pedia ajuda para colocar meninos de rua em projetos sociais.