No Dia da Visibilidade Lésbica, Ana Vilela lamenta preconceito: 'Sofremos com a fetichização do nosso sentimento'

·1 minuto de leitura

Ana Vilela é mais uma artista a fazer coro contra o preconceito. Casada com Amanda Garcia desde 2018, a artista ressalta a importância de uma data como a deste domingo, em que se comemora o Dia da Visibilidade Lésbica. Segundo ela, as mulheres homossexuais ainda passam por muitas situações nocivas.

— Esta data é importante porque a comunidade lésbica, principalmente no Brasil, é muito invisibilizada. Sofremos muito com a fetichização do nosso sentimento. Também há todo dia vários casos de estupro corretivo de pessoas que acreditam que "não provamos um homem de verdade" ainda. Vivemos numa sociedade muito machista e o preconceito ainda é muito natural e marginalizado.

Recentemente, a cantora lançou o clipe "A gente combina", em que pela primeira vez aparece num clipe com Amanda. Ana diz que a nova música tem a ver com seus dias atuais.

— Nunca estive tão presente no meu casamento, no meu relacionamento. Nunca vivi tanto romance como tem sido agora. Por conta da pandemia, tenho ficado mais tempo em casa com a minha mulher. Isso era algo que eu não fazia muito, por viajar demais com shows. E antes de “Trem Bala”, a gente não morava juntas, namorava pela internet. Não tínhamos essa convivência toda. “A Gente Combina” casou muito com esse momento atual, melosinho e romântico que tenho vivido — conta a cantora, que diz que é romântica: — Quero que o público ouça minha música e tenha vontade de se apaixonar. E quem está apaixonado, pense na pessoa que ama quando ouvir.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos