No Dia do Gordo, artistas falam sobre estar de bem com seus corpos

1 / 1
No Dia do Gordo, artistas falam sobre estar de bem com seus corpos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Magro, alto e sorridente. Essa é a imagem que, desde sempre, parece predominar nas capas de revistas, propagandas televisivas e mesmo nas redes sociais. Nos últimos anos, no entanto, tem aumentado o número de famosos que, fora desse padrão, conquistam o público e alcançam cada vez mais espaço.

Aproveitando o Dia do Gordo, celebrado em 10 de setembro para conscientizar as pessoas sobre a importância de manter o respeito por aqueles que estão acima do peso, alguns famosos falam sobre perda de papel, dietas e o processo de aceitação do próprio corpo. 

O ator e cantor Leo Jaime, 58, lembra que os trabalhos foram diminuindo quando começou a ganhar peso. "Diziam que eu tinha uma aparência decadente", recorda ele, que afirma ter superado essa fase. "Depois de alguns anos começaram a perceber que era e sou bastante popular e tenho muitos admiradores. Consegui reverter um quadro". 

Participando atualmente da Dança dos Famosos, do Domingão do Faustão (Globo), Leo tem tido uma rotina de exercícios bem puxada nos últimos tempos e garante que o talento torna as pessoas atraentes, assim como a simpatia, a inteligência. "Eu aproveito o que eu tenho, gosto de ser quem eu sou. Sinto-me querido". 

Preta Gil, 44, também afirma ter sentido a pressão para mudar seu corpo após iniciar a carreira de cantora. "Me submeti a tratamentos, remédios, dietas e até cirurgia para atender a vontade mais dos outros que a minha. Fui muito cobrada ao me mostrar como eu era na capa do meu primeiro disco", recorda ela. 

A fase de atender às expectativas dos outros, porém, foi superada: "Hoje eu não luto, eu simplesmente aprendi a me alimentar, a ter cuidados com a saúde e convivo muito bem comigo mesma. Quando posto uma foto de biquíni estou pensando mais nas outras mulheres, é uma forma de fazer com que se libertem". 

Já a cantora Jojo Maronttinni, 21, afirma que não precisou passar de aceitação: "Eu nasci feliz comigo mesma e bem resolvida. Meu padrão de beleza sou eu, feliz da vida! Amor-próprio e auto estima lá em cima!", afirma. Já quanto ao bullying, ela diz nem se lembrar, "nem dou confiança". 

Tiago Abravanel, 30, também se diz feliz do jeito que é, mas admite oscilar entre momentos em que gostaria de estar mais magro e momentos em que não liga para isso. "Hoje em dia a sociedade tem tido estímulos para que as pessoas se aceitem do jeito que elas são e não tenham medo disso".

"Não estou falando que acabou o preconceito, muito pelo contrário, talvez o fato de as pessoas se aceitarem e se exporem incomoda quem é preconceituoso e acaba gerando mais conflito", afirma ele, que já esteve em novelas da Globo e musicais da Broadway. "Sempre acreditei que o meu físico não mudaria o meu caráter ou a minha maneira de ser". 

Para a atriz Fabiana Karla, 42, a maturidade é a grande aliada na busca por amor próprio. Conhecida por suas personagens bem-humoradas no Zorra Total, ela vem conquistando seguidores nas redes sociais por sua autenticidade. 

"Sou uma mulher mais feliz hoje com meu corpo do que quando eu tinha 20 anos. Hoje sei usar o que tenho de melhor a meu favor e acabo inspirando outras mulheres, sejam elas negras, ruivas, asiáticas, magras, gordas", comenta. "Minha bandeira é: 'seja a sua melhor versão de você'".