No elenco de série brasileira, atriz argentina fala sobre identificação com o país e luta pela legalização do aborto

·2 minuto de leitura

A série “Hard”, produção brasileira da HBO, ainda estava em pré-produção quando uma hermana mudou parte da história. Inicialmente, a trama da dona de casa que herda uma produtora de filmes pornográficos do marido morto teria, entre os personagens, um ator pornô argentino. Ao saber do projeto, porém, Natalia Dal Molin, natural de Rosário, cidade a três horas de Buenos Aires, resolveu fazer um teste. Foi tão bem que a equipe mudou de ideia e transformou o papel na irreverente Shana.

Bissexual e de criação católica, Natalia se jogou de cabeça no projeto, cuja terceira e última temporada foi lançada recentemente. O trabalho envolveu uma preparação com atores reais da indústria pornográfica e serviu para que a moça, de 34 anos, abrisse ainda mais a cabeça sobre a sexualidade. Não que ela encarasse o tema como tabu antes disso. “Sou uma menina do teatro. Então, você sabe como é”, diverte-se, em entrevista por chamada de vídeo, diretamente da capital argentina.

Brincadeiras à parte, ela é uma ferrenha defensora da liberdade sexual e participou dos movimentos em defesa da legalização do aborto que mobilizaram o seu país recentemente. “Sou a favor de a pessoa decidir o que fazer com o corpo”, diz. “Além disso, precisamos ajudar as meninas que morrem por não terem grana para fazer o procedimento em segurança.”

Natalia também está no elenco de “Maradona Sueño Bendito”, série sobre a vida do astro argentino do futebol que chega ao Prime Video no mês que vem. Ela interpreta Mary, irmã do jogador, e adorou experimentar, ainda que na ficção, a sensação de estar ao lado de um dos maiores ídolos de seu país. “Ele viveu muitas vidas em uma e tinha esse espírito de sonhar forte e correr atrás, com o qual me identifico”, compara.

Apaixonada pelo Brasil, a atriz já participou de rituais com ayahuasca e, nos terreiros de umbanda, descobriu-se filha de Iansã. “Mergulhei nos paraísos que vocês têm, de acreditar nas forças”, conta Natalia, que não vê a hora de aportar por aqui novamente. Se tudo der certo, será em breve. Ela está em negociação para participar de um projeto do Globoplay e, embora não possa dar detalhes, está confiante de que o trabalho a trará de volta em breve. “Eu me sinto protegida pelos meus orixás”, diz.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos