No mês da Consciência Negra, CCBB homenageia fotógrafo Walter Firmo

Logo Agência Brasil
Logo Agência Brasil

No mês da Consciência Negra, uma exposição homenageia um fotógrafo referência em dedicação ao povo negro: Walter Firmo.

As mais de sete décadas de trajetória do artista são apresentados na mostra “Walter Firmo: no verbo do silêncio a síntese do grito”, em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro.

Notícias relacionadas:

São mais de 260 obras, produzidas desde 1950, que retratam as cores e nuances dos personagens, especialmente da população negra, destacados por Firmo em suas fotos. Para o artista, hoje com 85 anos, este é um momento especial.

“Como não estar feliz, e estar também sempre com o friozinho na espinha. É como se fôssemos um ator que vai estrear uma peça. Ele vai ficar assim, sempre preocupado. E, dentro desse espectro, a gente fica sempre esperando abrir a cortina e começar o espetáculo. Então, estou feliz”, disse ele.

Repercussão da obra

Ao longo de sete núcleos temáticos, é possível conferir trabalhos de repercussão na carreira de Walter Firmo, como fotos de ícones como Cartola, Pixinguinha, Arthur Bispo do Rosário e Dona Ivone Lara. Para o artista, um momento único de mostrar o diferencial de sua obra.

“Eu sou um sedutor. Então, o meu trabalho se esteia, se concretiza, se baseia exatamente nessa atitude da sedução. De trabalhar com o imaginário, sabe, não é a realidade, isso tudo que eu faço aqui é um percurso, uma prosódia, uma maneira de se mostrar poeta naquilo que ele gosta de fazer, que é a imagem fotográfica”, acrescenta.

Um dos curadores da mostra, Sergio Burgi explica que o processo de seleção dos trabalhos foi complexo, pois o acervo do fotógrafo inclui mais de 140 mil imagens.

“Durante o período da pandemia, tínhamos a previsão, a exposição, inclusive ter sido lançada antes, mas, com a pandemia, passamos cerca de dois anos com a oportunidade de semanalmente conversarmos com Firmo, duas reuniões por semana, vendo eletronicamente o acervo, com isso fomos construindo uma visão bastante estruturada do trabalho dele ao longo dessas sete décadas”, revela Burgi.

A mostra “Walter Firmo: no verbo do silêncio a síntese do grito” terá longa temporada no Centro Cultural Banco do Brasil, onde poderá ser vista até março do ano que vem. A entrada é franca. O CCBB fica na Rua Primeiro de Março, 66, no centro do Rio.