No meu governo não há medo de escolher político, diz Lula em anúncio de ministros

BRASILIA, DF,  BRASIL,  29-12-2022: O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva anúncia os úlitmos nomes de ministros que compõem o primeiro escalão do governo, que inclui a ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara. No CCBB. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
BRASILIA, DF, BRASIL, 29-12-2022: O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva anúncia os úlitmos nomes de ministros que compõem o primeiro escalão do governo, que inclui a ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara. No CCBB. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente diplomado, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), afirmou nesta quinta-feira (29) não ter medo de escolher político para compor seus ministérios, em resposta a críticas sofridas por acomodar partidos de centro como PSD, União Brasil e MDB em seu terceiro mandato.

As declarações foram dadas no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), sede do gabinete de transição, durante pronunciamento no qual o petista anunciou os últimos nomes de seu ministério. Ele já havia divulgado o nome de 21 chefes das 37 pastas que o governo terá.

"No meu governo não há medo de escolher político. Porque sou daqueles que acha que, fora da política, a gente não encontra solução para quase nada neste planeta", disse. "E estou convencido que a gente tem que montar o melhor ministério que a gente puder para todo mundo começar a trabalhar."

O desenho final da Esplanada foi fechado na manhã desta quinta, após conversa com a União Brasil e PDT. A negociação com o partido de Luciano Bivar (PE) se arrastou até momentos antes do anúncio oficial, com Lula ainda recebendo caciques do partido no hotel que está hospedado.

Por isso, evento começou com mais de uma hora de atraso. Estiveram com o chefe do Executivo diplomado o presidente do PDT, Carlos Lupi; o senador Davi Alcolumbre (União Brasil-AP); a deputada federal eleita Daniela do Waguinho (União Brasil-RJ); e o presidente da União Brasil, Luciano Bivar.

No pronunciamento, Lula afirmou que vai negociar com cada estado os nomes do segundo escalão. O petista ainda não definiu, por exemplo, quem vai ocupar a presidência da Funai (Fundação Nacional do Índio).

"Temos conversado e, depois de muitos ajustes, nós terminamos de montar o primeiro escalão do governo. Não menos importante, a partir da posse, a gente vai começar a discutir o segundo escalão, os cargos do governo federal em cada estado, para que a gente possa dentro de pouco tempo estar tendo todas as informações para fazer a máquina funcionar", afirmou

O MDB terá três ministérios no terceiro mandato de Lula, mas Simone Tebet é considerada parte da cota pessoal de Lula. O petista anunciou nesta quinta-feira os nomes de Renan Filho para o Ministério dos Transportes e Jader Barbalho Filho para Cidades.

O PSD terá três ministérios: o senador Alexandre Silveira (PSD-MG) ficará com a pasta das Minas e Energia; Carlos Fávaro (PSD-MT) será ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e o deputado André de Paula (PSD-PE) ficará com a Pesca.

Integrantes da União Brasil também indicaram nomes para três ministérios. Lula anunciou a deputada Daniela do Waguinho (União Brasil-RJ), como ministra do Turismo e o deputado Juscelino Filho (União Brasil-MA) como chefe das Comunicações.