No primeiro ano, Witzel prioriza investimento em segurança, mas adota discurso menos radical

Paulo Cappelli

RIO — Quando largou, em 2018, 17 anos de magistratura para concorrer ao governo do Rio, Wilson Witzel usava termos como “esquerdopata” para rebater seus críticos. Hoje, o ex-juiz federal mudou. Fez alianças e adotou um discurso mais moderado, com acenos à oposição. Permaneceu, porém, sua promessa de priorizar uma política de combate à violência. Um levantamento dos gastos do estado mostra que o valor destinado à segurança pública aumentou, enquanto verbas liquidadas nas áreas de saúde e educação diminuíram.

Neste primeiro ano da administração Witzel, foram gastos R$ 10,2 bilhões em segurança pública, R$ 1,2 bilhão a mais que nos últimos 12 meses do governo de Luiz Fernando Pezão — o balanço leva em consideração o período entre janeiro e novembro, disponível para consulta no Portal da Transparência. Já as cifras destinadas para saúde (R$ 4,4 bilhões) e educação (R$ 5,9 bilhões) apresentaram queda: foram investidos, respectivamente, R$ 850 milhões e R$ 27 milhões a menos em cada uma dessas áreas, na comparação com 2018.