No primeiro dia após retorno à fase vermelha, isolamento social cai no estado de SP

VICTORIA DAMASCENO
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O índice de isolamento social diminuiu nesta segunda-feira (12), primeiro dia após o retorno à fase vermelha no estado de São Paulo, segundo dados do governo paulista. O isolamento médio foi de 41%, dois pontos percentuais a menos do que os 43% registrados na segunda-feira passada (5). Há duas semanas (29), o isolamento foi ainda maior, com 44%. A fase vermelha do Plano São Paulo impõe menos restrições do que a fase emergencial, que acabou no último domingo (11). Nela é permitida a retirada de alimentos e de produtos em restaurantes e no comércio, e as aulas presenciais podem retornar, desde que autorizadas pelas prefeituras. Jogos do Campeonato Paulista podem ser realizados, mas somente após 20h e sem público. O funcionamento de academias, bares e salões de beleza continua proibido. Algumas restrições da fase emergencial, porém, se mantêm, como o toque de recolher das 20h às 5h, o teletrabalho (home office) obrigatório para atividades não essenciais, o escalonamento de serviço em setores autorizados a trabalhar presencialmente, além da proibição de cerimônias religiosas. Em relação à semana passada, houve ligeira queda na taxa de ocupação das UTIs (unidades de terapia intensiva) dedicadas ao tratamento de pacientes com Covid-19. Nesta segunda, o estado tinha 87% dos leitos ocupados, enquanto há uma semana tinha 89,8%. A Grande São Paulo tinha ocupação de 85,8%, número menor do que o registrado na segunda passada, com 89%. De domingo para segunda, porém, houve aumento. No domingo, o sistema do governo registrou que 85,5% dos leitos estavam ocupados. O trânsito na cidade, por outro lado, segue praticamente o mesmo. Também houve pouca mudança no número de pessoas nos ônibus da cidade. Segundo dados da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), foram 29 quilômetros de lentidão nesta segunda-feira, quase o mesmo valor do que os 28 quilômetros registrados na semana passada. Na segunda anterior, durante o período de recesso devido aos feriados antecipados pela Prefeitura de São Paulo, a média foi de 5 quilômetros. Houve 1,57 milhão de passageiros nos ônibus da cidade nesta segunda, contra 1,51 milhão na segunda passada. Há 15 dias, também devido ao recesso, o número foi menor, com 1,17 milhão de pessoas. Já entre os carros circulando nas ruas da cidade, foram 5,6 milhão nesta segunda, o mesmo valor da semana passada, e consideravelmente maior que o 1,7 milhão registrado há duas semanas.