No quarto mês da filha, Talita Younan fala de apoio da mãe, de Regina e Gabriela Duarte: 'Sem elas não sei o que seria de mim'

·5 minuto de leitura

"Só quem é mãe sabe”. Todo mundo provavelmente já ouviu essa frase, que, apesar de clichê, é real. Carregar um bebê por nove meses e depois aprender a cuidar e criar é uma tarefa árdua. Mamãe de primeira viagem, Talita Younan tem enfrentado um de seus papéis mais difíceis, mas o mais prazeroso. A atriz de 28 anos deu à luz Isabel no meio da pandemia, e, no mês da mães, festeja os 4 meses da menina.

— Diariamente tenho um novo aprendizado, vibramos com cada conquista. Aprendo a amar todo dia um pouco mais. Só quem tem filho entende o amor de outra mãe — afirma a morena, que destaca as dificuldades de uma mãe estreante: — A vida muda completamente. Você tem que se adaptar a tudo, então é cansativo. Não dá para romantizar. Tive sorte, porque Isabel é calma e a gestação foi tranquila. Mas tem a privação do sono, ela acordava de hora em hora... Só que todo cansaço vale a pena. As pessoas me falavam que eu conheceria um amor que não tinha noção, e eu pensava: “Mais do que amo minha mãe e minha família? Acho que não”. Mas é diferente, não dá para explicar em palavras.

Além de ganhar uma filha, a atriz mudou o estado civil em outubro, três meses após anunciar a gestação. Agora, ela é casada com o cineasta João Gomez, filho de Regina Duarte. Mas, antes de oficializar a união, os dois já estavam morando sob o mesmo teto:

— Somos muito apaixonados, não tínhamos dúvidas de que ficaríamos juntos e decidimos de uma semana para a outra. Meu sonho sempre foi casar, ter filhos, então, foi um momento importante para mim. Meus avós são casados há 50 anos! Acho tão lindo o companheirismo, a parceria que eles têm, e sinto isso entre mim e João também. Somos amigos acima de qualquer coisa.

A gravidez, não planejada, pegou o casal de surpresa, mas chegou para somar. Talita só lamenta não ter aproveitado a gestação cercada de parentes e amigos, por causa do distanciamento forçado pela pandemia:

— Imaginava que curtiria o barrigão com minha família, mas não pude. Meu chá de revelação e o de bebê foram on-line. Estou louca para me vacinar, ver o mundo todo imunizado. Que ansiedade para a pandemia passar! Aí poderei apresentar Isabel a todos. Acho que vou ter que ter mais um filho para fazer tudo presencial. Não, tô brincando. Por enquanto, melhor não (risos)...

Isabel não é a única criança em casa. Antes do bebê, a paulista de Presidente Prudente já convivia com João Gabriel, de 7 anos, e Antônio, de 5, filhos de João com a ex-mulher, a também atriz Regiane Alves. A casa cheia, apesar de mais alegre, dificulta a vida a dois do casal...

— Não dá pra programar nada (risos). Tem que aproveitar qualquer segundo livre para agarrar o maridão — brinca Talita, contando que só agora a relação voltou a esquentar: — Nos primeiros meses, é difícil pelo cansaço, os hormônios estão em queda, a criança depende de você 24 horas. Depois você vai acostumando, encontrando momentos, a autoestima vai melhorando. O companheirismo nesse momento é tudo! Agora que Bebel está com 4 meses, conseguimos nos programar um pouquinho melhor, usar a imaginação e a criatividade para manter o interesse um no outro.

Longe fisicamente da família, que mora em São Paulo, Talita, no Rio, conta com o apoio das madrinhas da menina, que só a visitam após fazer quarentena. O casal também tem uma babá para auxiliar na rotina, e, em janeiro, quando Isabel nasceu, a mãe da atriz, Patrícia Daniel, ficou pouco mais de uma semana com a neta. Dias depois, Regina ajudou a nora. E Gabriela Duarte, irmã de João, também deu muitas dicas à cunhada.

— Sem elas não sei o que seria de mim. Elas sabiam do que estavam falando,mas tiveram cuidado para não serem invasivas. Os conselhos da minha sogra, da minha cunhada e da minha mãe foram essenciais. São pessoas que eu admiro e amo — declara-se Talita, que entrega: — Tenho muita vontade de fazer uma peça com minha sogra e minha cunhada. Sempre falamos disso.

Política, no entanto, não costuma ser pauta em família. Na última semana, Talita reuniu parentes próximos para o “mesversário” da filha, com o tema Frida Kahlo. Ao registrar o encontro nas redes, Regina foi criticada por seguidores pela ligação da famosa pintora mexicana, morta em 1954, com o comunismo. A nora daquela que foi a namoradinha do Brasil garante que as polêmicas envolvendo a relação da sogra com Bolsonaro (Regina foi secretária de Cultura do governo em 2020) não respingaram em sua vida.

— Sempre foi tranquilo, a gente não fala muito sobre isso em casa — diz Talita, afirmando nunca ter tido problema com “haters”: — As pessoas são tão queridas comigo! Só recebo mensagens lindas. A vida em família, como se vê, tem sido tudo de bom. Mas Talita, ultimamente, tem se dividido entre a vontade de trabalhar e a de não ficar longe da filha:

— Só de pensar em deixar Isabel em casa já dá um siricutico, meu olho lacrimeja. Mas também tenho muita saudade de atuar. Quando vou à academia aqui no condomínio, fico 40 minutos e volto agarrando ela.

Falando em academia, Talita conta que engordou 13kg durante a gestação e se manteve ativa até o fim dela, fazendo exercícios físicos e fisioterapia. Segundo a artista, ainda falta perder três quilos para voltar ao peso de antes, mas o corpo não é uma preocupação:

— Quando virei mãe, minha cabeça mudou. Trabalho com imagem e tenho que me cuidar, mas o corpo de grávida foi o mais bonito que já tive. Pensava muito: “Será que um dia eu vou ficar assim de novo?”. Curti cada momento, sem me preocupar. Gerar uma vida é incrível!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos