No Rio, polícia faz operação em camelódromo da rua Uruguaiana

Tâmara Freire – Repórter do Radiojornalismo

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu hoje (15) quatro pessoas da administração do centro de comércio popular da rua Uruguaiana, conhecido como camelódromo. Entre os presos, estão o presidente da Associação dos Comerciantes, João Lopes do Nascimento, e o vice-presidente, Antonio Carlos Peixoto.

 

Uma ação da prefeitura do Rio resultou na interdição de 45 boxes no camelódromo da Rua Uruguaiana, o principal polo de comércio popular do centro da cidade.
A prefeitura do Rio já investigava boxes no camelódromo da Rua Uruguaiana - Tomaz Silva/Agência Brasil

Eles são acusados de construir irregularmente novos boxes no centro de comércio popular e vendê-los sem autorização da prefeitura. Além disso, de acordo com uma testemunha, que teria adquirido alguns estandes, a administração teria extorquido comerciantes para permitir que continuassem negociando no local.

A policia também investiga suspeita de que a administração tenha relação com um grupo miliciano. De acordo com o titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), Alexandre Herdy, cada estande era vendido por cerca de R$ 30 mil.

“Não basta para a polícia termos conhecimento de que ocorre algum fato. Necessitamos de provas e as provas muitas vezes vêm de testemunhas. No caso, a investigação teve uma evolução muito boa em função da presença de testemunhas que relataram fatos importantíssimos”, disse.

A operação realizada hoje se relaciona com outra, feita no mês passado pela prefeitura do Rio de Janeiro, que administra o centro de comércio popular. Na ocasião, 45 boxes construídos irregularmente foram fechados. A prefeitura informou que investigava suspeita de que tinham sido construídos e vendidos por grupos milicianos.