No Rio, volta às aulas na Uerj está prevista para segunda-feira

Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil

O reitor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Ruy Garcia Marques, informou hoje (5) que o início das aulas está previsto para a próxima segunda-feira (10). A Uerj já adiou cinco vezes o início das aulas referentes ao segundo semestre do ano passado, devido à crise financeira do governo fluminense.

Desde o início de janeiro, a reitoria da universidade suspendeu o início das aulas do segundo período de 2016 por causa da falta de condições necessárias ao pleno funcionamento da instituição. Entre os problemas, estão o não pagamento das bolsas e salários pelo governo do estado e a falta de repasses de verbas para a manutenção em geral.

“Em relação às condições que consideramos mínimas, que são limpeza, manutenção de elevadores e segurança, conseguimos isso para esta unidade, o Campus Maracanã, e também para as 13 unidades externas. Com isso, e mais o pagamento das bolsas para cotistas do mês de fevereiro e a divulgação de um calendário para o pagamento dos salários, tendemos a voltar no dia 10 de abril”, disse o reitor.

Para sexta-feira (7), está marcada nova reunião do Fórum de Diretores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), que vai dar palavra final sobre a volta às aulas no dia 10. “Mas estou realmente esperançoso de que possamos voltar. Precisamos voltar. Os alunos pedem muito, a maioria dos docentes pede [o retorno às aulas]”, disse Marques.

Aula pública

Professores da Uerj, da Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste e da Fundação de Apoio à Escola Técnica se reuniram nesta quarta-feira para uma aula pública em frente ao Palácio Guanabara, sede do governo estadual, em Laranjeiras, na zona sul da cidade. O ato, intitulado "Se o Pezão não deixa a Uerj ter aula, aula na porta do Pezão", teve a participação de mais de 100 pessoas. O tema da aula foi a crise no estado do Rio de Janeiro nas áreas da educação, saúde e segurança pública.

“A Uerj está sem o repasse de verbas que ela tem direito por lei. Essa situação perdura desde 2015. Os governos vêm sucateando a universidade. Estamos numa situação muito grave. Estamos sem salário desde janeiro, os nossos estudantes estão sem as bolsas”, disse a professora do serviço social da Uerj, Cleier Marconsin.

*Colaborou Tatiana Alves, repórter do Radiojornalismo