No segundo dia de exame, Enem digital tem abstenção de 71,3%

Adriana Mendes
·3 minuto de leitura

BRASÍLIA – No segundo dia de aplicação da versão digital do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), realizado neste domingo, a abstenção foi de 71,3% , um recorde. No primeiro dia, 68% dos participantes não compareceram. Apesar da alta abstenção, a avaliação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) é que o resultado foi satisfatório.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, disse que a edição em prova digital será ampliada em 2021. Neste segundo dia eram esperados 93.079 candidatos, mas compareceram 26.7609 e faltaram 66.370. — Foi um dia tranquilo de aplicação e estamos muito satisfeitos com o resultado, neste momento estamos reescrevendo a Historia do Enem — afirmou Lopes, destacando que a alta abstenção no segundo dia já era esperada. — A participação no exame, seja no impresso ou no digital , é um opção de cada participante. Da nossa parte a garantia é que as pessoas que queiram fazer a prova consigam fazer a prova. Se tiver algum problema que tenha uma segunda chance, que é a reaplicação que vamos fazer dia 23 e 24 ( de fevereiro).

Neste domingo, houve falta de energia no bairro de Queimado, no Rio de Janeiro, Estes candidatos farão a reaplicação em 23 e 24 de fevereiro. Houve também locais em que os candidatos tiveram que esperar o início da prova. O tempo perdido foi adicionado ao final do exame.

Os estudantes fizeram neste segundo dia provas de matemática e ciências da natureza. O Enem Digital foi aplicado em 1.028 locais de prova em 104 cidades do país. Os resultados serão divulgados dia 19 de março.

Nos computadores, os candidatos só tiveram acesso às provas após a digitação de uma senha, sem acesso à internet ou calculadora. Cerca de 70 profissionais, divididos entre as sedes do Inep e da Cesgranrio, monitoraram o exame e possíveis ataques cibernéticos.

O governo federal quer que as provas do Enem sejam 100% digitais até 2026. A ideia é fazer uma transição gradual entre os exames impressos e o formato digital. Há também a proposta de realizar várias aplicações do Enem ao longo de um só ano.No primeiro dia de provas o Enem digital registrou problemas: espera de 2 horas para o início do exame em Belo Horizonte, estudantes dispensados após erro no sistema em Taguatinga, no Distrito Federal, dificuldades técnicas e alunos mandados para casa no Tocantins.

O exame foi cancelado para estudantes do Amazonas e Rondônia em decorrência do agravamento da pandemia do novo coronavírus. Eles realizarão o Enem digital na data de reaplicação, entre 23 e 24 de fevereiro. Neste período, também poderão fazer a prova estudantes que não puderam comparecer nas datas originais por problemas de logística ou devido a sintomas de Covid-19 e outras doenças infectocontagiosas. Neste caso, precisam pedir a reaplicação do exame entre os dias 8 e 12 de fevereiro. Os casos serão julgados, individualmente, pelo Inep.

Os participantes puderam escolher neste ano entre o modelo digital e a prova em papel. Na versão impressa, aplicada nos dias 17 e 24 de janeiro, houve também abstenção recorde, 55,3% dos inscritos não compareceram ao exame.