Nobel de Física é conquistado por trio pioneiro da mecânica quântica, ciência na mira de gigantes da tecnologia

Nobel de Física é conquistado por trio pioneiro da mecânica quântica, ciência na mira de gigantes da tecnologia

O prêmio Nobel de Física foi atribuído nesta terça-feira (4) ao francês Alain Aspect, ao americano John Clauser e ao austríaco Anton Zeilinger por suas descobertas no campo da mecânica quântica, uma ciência que atrai grandes empresas como a Google, para o desenvolvimento da nova geração de computadores. Os resultados dos trabalhos "abriram caminho para novas tecnologias, anunciou o júri em um comunicado.

O trio foi premiado por seu trabalho pioneiro com "entrelaçamento quântico", um mecanismo no qual duas partículas quânticas estão perfeitamente correlacionadas, independente da distância entre elas, indicou o comitê. Aspect, 75 anos, Clauser, 79 anos, e Zeilinger, 77 anos, são recompensados por "suas experiências com fótons entrelaçados, estabelecendo as violações das desigualdades de Bell e abrindo uma via pioneira em direção à informática quântica", salientou o júri.

Cada um dos vencedores "realizou experimentos inovadores usando estados quânticos emaranhados, nos quais duas partículas se comportam como uma unidade inclusive quando estão separadas", afirmou o comunicado. Mesmo o físico Albert Einstein não acreditava que dois fótons unidos pudessem guardar a marca de seu passado em comum e, separados, tivessem um comportamento similar.

As descobertas dos pesquisadores premiados abriram o caminho para novas tecnologias na informática quântica e na segurança das comunicações, além do aprimoramento de captores quânticos ultrasensíveis que permitem alcançar medidas extremamente precisas, como a da gravidade no espaço.

"Não é como no Star Trek"

"Fiquei surpreso ao receber o telefonema [do júri]", afirmou Zeilinger, da Universidade de Viena, na Áustria, durante a conferência de anúncio do prêmio na Suécia. Apesar do nome "teleportação quântica", utilizado para o mecanismo de entrelaçamento de partículas, "não é como no Star Trek", brincou o pesquisador, referindo-se à célebre série de ficção científica.

Por outro lado, o austríaco explicou que com a técnica, "podemos transferir todas as informações dotadas por um objeto a um outro local onde esse objeto pode ser reconstituído". "Com essa capacidade surpreendente, conseguimos transportar uma informação sem mesmo conhecê-la", salientou.

Nova geração de "computadores quânticos"

A mecânica quântica é uma ciência contraintuitiva que descreve o mundo em uma escala infinitamente pequena, onde a existência pode ser simultânea, inexistente ou estar entre esses dois campos. Prova do grande interesse que existe em explorar essa área, gigantes da tecnologia como a Google mobilizam atualmente uma grande quantidade de pesquisadores para elaborar uma nova geração de "computadores quânticos". Eles não se parecerão em nada com os smartphones e laptops usados hoje, mas sua potência de cálculo deverá permitir a resolução de problemas extremamente complexos ou considerados impossíveis.

Aspect, Clauser e Zeilinger já haviam recebido juntos o prestigioso prêmio Wolf de Física, em 2010. Em um trabalho que ficou famoso no setor, o pesquisador francês conseguiu entrelaçar pela primeira vez dois fótons a 12 metros de distância, em 1981. Já os trabalhos de Clauser tiveram início nos anos 1960, enquanto Zeilinger registrou avanços importantes no campo nos anos 1990.

O trio dividirá a quantia de 10 milhões de coroas suecas (US$ 901.500) e receberá o prêmio das mãos do rei Carl XVI Gustaf em uma cerimônia em Estocolmo, em 10 de dezembro, aniversário da morte em 1896 do cientista Alfred Nobel, que criou a premiação em seu testamento.

No ano passado, a Academia Sueca premiou o japonês-americano Syukuro Manabe e o alemão Klaus Hasselmann por seus trabalhos nos modelos físicos da mudança climática, assim como o italiano Giorgio Parisi por sua pesquisa sobre a interação de desordem e flutuações nos sistemas físicos.

(Com informações da AFP)