Descoberta que venceu Nobel da Medicina partiu de experiência com pimenta malagueta; entenda

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
David Julius e Ardem Patapoutian são anunciados vencendores do Nobel de Medicina
David Julius e Ardem Patapoutia são os ganhadores do Prêmio Nobel de Medicina de 2021
  • Dupla de cientista venceu prêmio ao desvendar mecanismo do corpo relativo ao sentimento de temperaturas

  • Descoberta pode ajudar a desenvolver novas maneiras de tratar a dor

  • Dupla vai dividir o prêmio de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6,1 milhões)

Cientistas que descobriram como nossos corpos sentem o calor do sol ou o abraço de um ente querido ganharam o Prêmio Nobel

David Julius e Ardem Patapoutian, dos Estados Unidos, dividiram o Nobel de Medicina de 2021 por sua pesquisa sobre sensação de toque e temperatura. Eles desvendaram como nossos corpos convertem as sensações físicas em mensagens elétricas no sistema nervoso.

Leia também:

As descobertas podem levar a novas maneiras de tratar a dor.

Calor, frio e toque são cruciais para vivenciar o mundo ao nosso redor e para nossa própria sobrevivência. Mas como nossos corpos realmente fazem isso foi um dos grandes mistérios da biologia.

"Foi uma descoberta muito importante e profunda", declarou Thomas Perlman, do comitê de premiação do Prêmio Nobel.

Descoberta partiu de pimenta malagueta

A descoberta do professor David Julius, da Universidade da Califórnia, em São Francisco (EUA), se deu a partir de pesquisas sobre a dor de queimação que sentimos ao comer uma pimenta malagueta. Ele fez experiências utilizando a capsaicina, composto ativo que é a fonte de ardência da pimenta.

Pimenta
Pesquisador fez experiências utilizando a capsaicina, composto ativo que é a fonte de ardência da pimenta

Ele descobriu o tipo específico de receptor (uma parte de nossas células que detecta o mundo ao seu redor) que respondia à capsaicina.

Outros testes mostraram que o receptor estava respondendo ao calor e era ativado em temperaturas "dolorosas". É o que acontece, por exemplo, se você queimar a mão em uma xícara de café.

A descoberta levou a uma enxurrada de outros sensores de temperatura sendo descobertos. Julius e Patapoutian encontraram um que pode detectar o resfriado.

Enquanto isso, Pataoutian, trabalhando no Instituto de Pesquisa Scripps, também cutucava células em uma placa.

Esses experimentos levaram à descoberta de um tipo diferente de receptor, que é ativado em resposta à força mecânica ou toque.

Quando você caminha na praia e sente a areia sob seus pés, são esses receptores que estão enviando sinais ao cérebro.

A dupla vai dividir o prêmio de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6,1 milhões)
A dupla vai dividir o prêmio de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6,1 milhões)

Esses sensores de toque e temperatura, desde então, têm mostrado desempenhar um amplo papel no corpo e em algumas doenças.

O primeiro sensor de calor (chamado TRPV1) também está envolvido na dor crônica e na forma como nosso corpo regula sua temperatura interna. 

Já o receptor de toque (PIZ02) tem várias funções, relacionadas desde ao ato de urinar até à pressão arterial.

O Comitê de Premiação afirmou que o trabalho deles "nos permitiu entender como o calor, o frio e a força mecânica podem dar início aos impulsos nervosos que nos permitem perceber e nos adaptar ao mundo ao nosso redor".

"Este conhecimento está sendo usado para desenvolver tratamentos para uma ampla variedade de doenças, incluindo dor crônica", acrescentou.

A dupla vai dividir o prêmio de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6,1 milhões).

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos