Nobel russo ataca propaganda da Rússia sobre armas nucleares

O vencedor do Prêmio Nobel da Paz, Dmitry Muratov, alerta que ninguém pode parar Putin se ele decidir usar armas nucleares (AFP/Fabrice COFFRINI) (Fabrice COFFRINI)

O jornalista russo Dmitri Muratov, vencedor do Prêmio Nobel da Paz, denunciou nesta terça-feira (3) a propaganda russa que defende o uso de armas nucleares no conflito na Ucrânia, alertando que isso significaria "o fim da humanidade".

"Eu não descartaria a possibilidade de usarem armas nucleares", disse Muratov a repórteres em Genebra.

O Kremlin afirmou ter colocado as forças nucleares russas em alerta máximo logo após o início da invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro.

E em meio ao crescente apoio do Ocidente à Ucrânia, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, fez ameaças veladas, sugerindo sua disposição de empregar armas nucleares táticas, que segundo a doutrina militar russa podem servir para forçar um adversário a se retirar.

Em um evento que marca o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, Muratov, cujo jornal Novaya Gazeta foi forçado a suspender sua publicação em meio à intervenção militar de Moscou, alertou que os "guerreiros da propaganda" do Kremlin estão se esforçando para tornar o uso de armas nucleares mais aceitável para o público russo.

"Há duas semanas, ouvimos em nossas televisões que os silos nucleares devem ser abertos", disse Muratov. "E também ouvimos que essas armas horríveis devem ser utilizadas caso (os países ocidentais) continuem fornecendo armas para a Ucrânia", completou, referindo-se aos envios dos Estados Unidos, União Europeia e outros.

Segundo o jornalista, a implementação de tais armas "não seria o fim da guerra", mas sim "o fim da humanidade". Para ele, o mais aterrorizante na Rússia hoje é que Putin adquiriu "um poder absoluto e irrestrito".

nl/bp/pc/mb/ic/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos