Nome sujo: maior parte dos inadimplentes deve R$ 4 mil

·3 min de leitura
Dentre as maiores causas dos endividamentos estão os débitos de bancos e os cartões de crédito
Dentre as maiores causas dos endividamentos estão os débitos de bancos e os cartões de crédito
  • Mulheres representam 50,2% dos endividados e os homens, 49,8%;

  • Entre os inadimplentes, o maior número é na faixa etária dos 26 a 40 anos (35,2%);

  • Ao todo, a soma das dívidas dos brasileiros chegou a R$ 265,8 bilhões.

Os brasileiros que estão com o nome sujo devem, em média, R$ 4 mil. De acordo com um levantamento feito pela Serasa Experian, o número de inadimplentes passou dos 65 milhões em março deste ano, índice só ultrapassado em abril e maio de 2020, no auge da pandemia.

Já a soma das dívidas chegou a R$ 265,8 bilhões, R$ 7,5 bilhões a mais do que o registrado no pico da pandemia e uma alta de 0,91% em relação ao mês anterior. O levantamento da Serasa foi divulgado nesta quarta-feira (20) e considera os dados de março.

O valor teve um leve aumento de 0,1% em relação a fevereiro e de pouco mais de 3% no comparativo com abril de 2020, pico da inadimplência.

As mulheres representam 50,2% dos endividados e os homens, 49,8%. Em relação à faixa etária, a mais presente se concentra entre os 26 e 40 anos (35,2%), seguida pela entre 41 e 60 anos (49,8%).

Entre os inadimplentes, o maior número é na faixa etária dos 26 a 40 anos (35,2%), seguido pela faixa de 41 a 60 anos (34,9%). As mulheres (50,2%) apresentaram uma pequena diferença entre os endividados com relação aos homens (49,8%).

Dentre as maiores causas dos endividamentos estão os débitos de bancos e os cartões de crédito, com 27,7% dos consumidores em dívida por esse motivo. Em seguida vem as chamadas "Utilities", isto é, contas básicas do cidadão, como energia, água e gás. Estas representam 23,9% dos débitos.

FGTS para limpar nome

Outro levantamento do Serasa apontou que 40% dos inadimplentes pretendem usar o Saque Extraordinário do FGTS para pagar dívidas e limpar o nome. As operações começaram nesta quarta-feira, dia 20, com o primeiro lote depositado para 3,9 milhões de trabalhadores nascidos em janeiro.

Com o valor de até R$ 1 mil, por exemplo, são mais de 69,2 milhões de ofertas disponíveis em todo o Brasil pelo Feirão Limpa Nome.

O levantamento foi feito pelo Instituto Opinion Box, em parceria com a Serasa, e detalhou que 26% dos entrevistados indicaram que pretendem utilizar o dinheiro liberado para pagar dívidas de cartão de crédito, e outros 26% pretendem colocar contas básicas em dia, como água, luz e gás.

Além disso, pelo menos 12% dos entrevistados afirmam que vão pagar dívidas contraídas em bancos e 8% pretendem quitar débitos feitos com familiares ou amigos. Apenas 13% afirmam que vão usar o FGTS para fazer compras em supermercados e 12% estão fazendo planos de investir a quantia a ser sacada na Caixa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos