Norma que flexibiliza garantia de crédito entra em vigor nesta segunda (7)

·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, BRASIL, 25-04-2013 - Cliente, entra no Banco Central, no Setor Bancário Sul, em Brasília (DF). (Foto: Sergio Lima/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, BRASIL, 25-04-2013 - Cliente, entra no Banco Central, no Setor Bancário Sul, em Brasília (DF). (Foto: Sergio Lima/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Após ter sido adiada por três vezes por pressão do setor, a norma que reduz a chamada trava bancária, publicada pelo Banco Central em junho de 2019, começa a valer nesta segunda (7). A nova regra faz parte de uma série de iniciativas para ampliar a competição no sistema financeiro.

Trava bancária, também chamada de alienação fiduciária de recebíveis, é um mecanismo utilizado pelo banco como garantia de crédito para empresas. Um lojista, por exemplo, pode pegar um empréstimo e oferecer os pagamentos que tem a receber por compras de cartão de crédito em datas futuras para assegurar a operação.

Antes, enquanto não quitasse o empréstimo, esses valores a receber, conhecidos no jargão como recebíveis, não poderiam ser utilizados em novos empréstimos, o que gerava a trava.

Com a nova regra, os registros dos recebíveis são centralizados, e o lojista tem liberdade para negociá-los como garantia de crédito em outras instituições que ofereçam condições melhores, não só com a qual ele tem relacionamento.

Agora, a agenda de recebíveis -cronograma de recebimento das compras feitas a prazo- poderá ser utilizada para mais de uma operação de crédito. LG

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos