Noruega eleva alerta militar em resposta à guerra na Ucrânia

Primeiro-ministro da Noruega Jonas Gahr Stoere

Por Gwladys Fouche

OSLO (Reuters) - A Noruega colocará seus militares em um nível elevado de alerta a partir de terça-feira, conforme aumenta a segurança em resposta à guerra na Ucrânia, disse o primeiro-ministro do país nórdico nesta segunda-feira.

A Noruega é agora o maior exportador de gás natural para a União Europeia, respondendo por cerca de um quarto de todas as importações da UE após uma queda nos fluxos russos.

"Esta é a situação de segurança mais grave em várias décadas", disse o primeiro-ministro Jonas Gahr Stoere em entrevista coletiva.

"Não há indicações de que a Rússia esteja expandindo sua guerra para outros países, mas o aumento das tensões nos deixa mais expostos a ameaças, operações de inteligência e campanhas de influência."

As Forças Armadas passarão menos tempo treinando e mais tempo em tarefas operacionais, e a Guarda Nacional, uma força de mobilização rápida, terá um papel mais ativo, disse o ministro da Defesa, Bjoern Arild Gram.

A Força Aérea cancelou treinamento nos Estados Unidos com seus caças F35, preferindo mantê-los na Noruega, disse o chefe das Forças Armadas, general Eirik Kristoffersen.

"Esperamos que esta situação dure pelo menos um ano", afirmou Kristoffersen.

A Noruega mobilizou seus militares para proteger plataformas offshore e instalações terrestres após vazamentos no gasoduto Nord Stream em 26 de setembro e recebeu apoio das marinhas britânica, francesa e alemã.

(Reportagem de Gwladys Fouche)