Noruega impõe novas restrições para combater terceira onda de coronavírus

Gwladys Fouche e Terje Solsvik
·1 minuto de leitura

Por Gwladys Fouche e Terje Solsvik

OSLO (Reuters) - A Noruega vai impor novas restrições para evitar o ressurgimento da propagação do coronavírus, disse a primeira-ministra, Erna Solberg, neste domingo, incluindo a proibição de bebidas alcoólicas em restaurantes e bares e de visitas em casa.

O país nórdico viu um aumento nos casos no mês passado e agora estima que seu número de reprodução R --que representa a quantidade média de pessoas para as quais um infectado transmitirá o vírus-- é de 1,3.

"Vemos mais sinais de uma nova onda de infecções", disse Solberg em entrevista coletiva, citando entre os motivos as comemorações do Natal e do Ano Novo e o surgimento da variante mais contagiosa do vírus identificada pela primeira vez na Grã Bretanha.

Os noruegueses devem pausar sua vida social pelas próximas duas semanas para manter o vírus sob controle, disse ela.

"Peço a vocês que não recebam visitas em casa. Esperem quinze dias antes de convidar alguém em casa ou para visitar outras pessoas", disse.

Um dia antes, o governo anunciou que as aulas em universidades seriam suspensas, pedindo aos alunos que fiquem em casa.

Lojas, escolas primárias e de jardim de infância permanecerão abertas. As instituições de ensino fundamental e médio também ficarão abertas, mas usarão mais aulas remotas do que atualmente.

Todas as viagens para fins particulares, sejam para o exterior ou dentro do país, passam a ser desencorajadas. A Noruega já tinha algumas das restrições de viagem mais rígidas da Europa, exigindo que os não residentes tivessem prova de que testaram negativo para Covid-19 antes de entrar no país.