Nos Estados Unidos, Bolsonaro diz que pretende antecipar volta ao Brasil

Nos EUA desde o dia 30 de dezembro, o ex-presidente Jair Bolsonaro afirma não ter tido 'dias calmos' - Foto: MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images
Nos EUA desde o dia 30 de dezembro, o ex-presidente Jair Bolsonaro afirma não ter tido 'dias calmos' - Foto: MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images

O ex-presidente Jair Bolsonaro afirmou em entrevista à CNN que pretende antecipar sua volta ao Brasil. O político, que foi para os Estados Unidos no dia 30 de dezembro, um dia antes do fim de seu mandato, contou que tinha de programado para voltar ao país só no fim de janeiro, mas que por conta de problemas de saúde, irá adiantar o retorno. De acordo com o colunista Lauro Jardim, Bolsonaro foi internado nesta segunda-feira em um hospital em Orlando, na Flórida, por conta de “dores abdominais”.

— Eu vim [aos Estados Unidos] para ficar até o final do mês (janeiro), mas pretendo antecipar minha volta. Porque, no Brasil, os médicos já sabem do meu problema de obstrução intestinal por causa da facada. Aqui, os médicos não me acompanharam — falou Bolsonaro à CNN.

Segundo post da ex-primeira dama nas redes sociais, o problema de saúde Bolsonaro é uma "sequela" da facada que ele levou ainda na campanha eleitoral de 2018. O ex-presidente segue internado em observação na unidade hospitalar.

Na mesma entrevista, o ex-presidente chamou de lamentável os atos de vandalismo de seus apoiadores em Brasília, no último domingo, e afirmou que não teve "dias calmos" na viagem para os Estados Unidos. O grupo invadiu e depredou os prédios do Congresso, do Supremo Tribunal Federal (STF) e o Palácio de Planalto.

— Essa já é a minha terceira internação por obstrução intestinal grave. Vim passar um tempo fora com a família. Mas não tive dias calmos. Primeiro, houve esse lamentável episódio ontem (domingo) no Brasil e depois essa minha internação no hospital — avaliou.