Nos Estados Unidos, mulher mata a própria filha de 11 anos “para evitar que ela fizesse sexo”

Segundo informações da polícia local, o motivo do crime seria “evitar que a filha fizesse sexo com outros homens”; entenda o caso (Reprodução)

Rosa Rivera, de 28 anos, foi presa após esfaquear e matar a própria filha, de apenas 11. Segundo informações da polícia local, o motivo seria “evitar que a menina fizesse sexo com outros homens”. O caso ocorreu no último domingo (10), no condado de Orange, Flórida, Estados Unidos.

A mulher golpeou a própria filha por diversas vezes dentro de um carro, ao perceber que a menina “sorria de modo diferente”. Segundo a mãe, o comportamento da criança a levou a pensar que a menina estivesse vivendo algum relacionamento sexual.

A vítima, que não resistiu aos ferimentos, apresentava ao menos 15 cortes, sendo a maioria deles na parte das costas. Testemunhas que presenciaram a discussão afirmam que a menina negava ter feito sexo.

Na delegacia, Rosa disse aos policiais que a filha “está agora no paraíso”. A justiça investiga se a menina era vítima de abuso sexual.