Nos EUA, homem negro paraplégico é arrastado pelos cabelos por policiais

·2 minuto de leitura
"Eles me arrastaram como um cachorro, como um lixo", disse Clifford Owensby que foi retirado do carro à força mesmo depois de informar que é paraplégico; polícia não encontrou nada ilícito no veículo.
"Eles me arrastaram como um cachorro, como um lixo", disse Clifford Owensby que foi retirado do carro à força mesmo depois de informar que é paraplégico; polícia não encontrou nada ilícito no veículo.

Um homem negro paraplégico foi mais uma vítima da truculência policial nos Estados Unidos. Clifford Owensby, de 39 anos, foi arrastado pelos cabelos por policiais durante uma abordagem na cidade de Dayton, em Ohio, nos Estados Unidos. O caso aconteceu no dia 30 de setembro e foi registrada por meio da câmera acoplada na farda de um dos policiais.

Na abordagem, os agentes pedem que Clifford desça do carro para que eles façam uma vistoria no veículo. Diante do pedido, Clifford repete de forma sucessiva que não consegue descer porque é paraplégico, ou seja, não consegue locomover os membros inferiores, e chega a fazer uma ligação para pedir ajuda a uma pessoa, que não foi identificada. Em seguida, o homem pede para falar com o supervisor oficial dos policiais, quando é pego pelos cabelos e arrastado por um policial para fora do carro.

"Alguém me ajude, eu sou um paraplégico, você pode me machucar!", grita Clifford enquanto está sendo algemado no chão.

Leia também: Escalada de protestos contra violência policial e o racismo abala EUA

Segundo autoridades, o homem foi parado depois de ter saído de uma casa suspeita de tráfico de drogas. Após a abordagem, os policiais encontraram uma bolsa com mais de 20 mil dólares. Nenhuma droga foi achada no veículo de Clifford.

"Eles me arrastaram como um cachorro, como um lixo", disse Owensby em uma coletiva.

Em comunicado, o Departamento de Polícia de Dayton diz que os policiais chegaram a oferecer ajuda para o homem sair do veículo, no entanto, ele teria recusado.

De acordo com a polícia de Dayton, o caso está sendo apurado e os policiais envolvidos serão investigados.

Leia também: Um ano do caso Floyd: assassinato elevou discussões sobre racismo e mudanças na polícia

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos