Nos EUA, reguladora acusa Tesla de enganar consumidores

Reguladora da Califórnia acusa Tesla de enganar seus clientes com informações em seu site. Foto: REUTERS / Chen Lin.
Reguladora da Califórnia acusa Tesla de enganar seus clientes com informações em seu site. Foto: REUTERS / Chen Lin.
  • Departamento de Veículos Motorizados (DMV) da Califórnia acusa Tesla de enganar clientes sobre sistemas de assistência ao motorista;

  • Órgão disse que fabricante "fez ou divulgou declarações falsas ou enganosas e não baseadas em fatos" sobre veículos;

  • Caso haja decisão favorável ao órgão regulador, a empresa pode ser proibida de fabricar e vender veículos na Califórnia.

O Departamento de Veículos Motorizados (DMV) da Califórnia, uma agência reguladora do estado norte-americano, acusou a empresa automotiva Tesla de enganar os clientes sobre os sistemas de assistência ao motorista e apresentou queixa para impedir que a companhia venda seus veículos na região.

O órgão diz que a fabricante divulgou informações enganosas em seu site sobre tecnologias como o Autopilot e o Full Self-Driving (FSD), colocando-as como sendo mais eficientes do que de fato seriam.

Leia também:

Os autos, apresentados ao Gabinete de Audiência Administrativa no dia 28 de julho, afirmam que a empresa de Elon Musk “fez ou divulgou declarações falsas ou enganosas e não baseadas em fatos”, e que seus carros não poderiam “operar como veículos autônomos”.

O portal da companhia informa que o piloto automático tem “capacidade total de direção autônoma”, e que, portanto, “tudo o que o motorista terá que fazer é entrar em seu veículo e dizer para onde ir”.

“Se você não disser nada, o carro vai consultar sua agenda e levá-lo a um destino presumido”, continua.

Caso haja decisão favorável ao órgão regulador californiano, a empresa automotiva pode ter, entre as consequências, a revogação do direito de fabricar e vender no estado estadunidense.

Contudo, em e-mail para o jornal Los Angeles Times, um porta voz da DMW afirmou que espera, com a ação, que a Tesla passe a informar melhor seus clientes sobre seus veículos autônomos, e que admita as limitações tecnológicas ainda existentes.