'Nosso Natal está bem seguro, é uma verdadeira operação de guerra', diz Karin Roepke

O Globo
·1 minuto de leitura

Karin Ropeke e o marido, o ator Edson Celulari, estão se cercando de todos os cuidados na noite de Natal. "Na noite de Natal, vamos receber na nossa casa na serra, os meus pais, que vieram de Brasilia, a mãe do Edson, minha irmã e a irmã dele. No almoço do dia 25, chegarão Enzo e Sophia", conta a atriz, de 38 anos. Para isso, Karin montou uma "operação de guerra". "Providenciei face shields e máscaras para todos. Também decidimos usar a mesa de ping-pong, que é bem grande, para sentarmos com o devido distanciamento. E todos nós fizemos o PCR", conta. "A gente resistiu até agora, não queremos dar vacilo. A pandemia não está brincadeira, não", observa.

Karin e Edson estão juntos ha nove anos e casados há dois. Sobre aumentar a família, Karin diz não ter pressa. "Pensamos em filhos, mas deixa o mundo se reorganizar."

No dia 4 de janeiro, a atriz volta a encenar o espetáculo "Bastidores, assinado por Cristina Fagundes. Na peça, que foi criada para o Zoom, ela interpreta uma diva chamada Beth Menezes, em homenagem às atrizes Betty Faria e Gloria Menezes. "Somos 11 atores e atuamos das nossas próprias casas. Essa peça é a prova de que o ser humano se adapta", comenta.

Entre os planos para janeiro, está a participação no primeiro longa com direção de Edson. "Vamos filmar na serra com uma equipe enxuta e adotaremos todas as medidas de segurança. A mesa de ping-pong vai ser útil novamente", diz ela.