NOTAS DA TRANSIÇÃO-Bivar desconversa sobre apoio a governo Lula e diz que União quer "fortalecer democracia"

Deputado federal Luciano Bivar em Brasília

(Coluna de notas sobre a transição de governo produzida pelos jornalistas da Reuters no Brasil)

(Reuters) - O presidente do União Brasil, deputado Luciano Bivar (PE), preferiu ser evasivo ao tratar de um eventual apoio do partido ao futuro governo do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, e procurou destacar o fortalecimento da democracia, ao falar rapidamente com jornalistas na sede da transição de governo em Brasília.

"A gente quer fortalecer a democracia, isso que é importante. A República não pode correr riscos, por isso que empresto o União Brasil à qualquer Poder deste país que represente realmente a democracia", disse Bivar.

Ao ser questionado sobre declaração do governador de Goiás, Ronaldo Caiado, de que a maioria do partido estaria ao lado do atual presidente, Jair Bolsonaro, que foi derrotado por Lula nas urnas, Bivar desconversou.

"O importante é que a gente está unido, forte e prestando todo o poder que a gente tem às instituições e à democracia do nosso país".

Segundo ele, "não tem nada dificultando" uma aliança com o governo eleito. "Nós temos que conversar", disse.

LAPTOPS

A assessoria de comunicação da Fundação Banco do Brasil divulgou uma nota nesta quarta-feira afirmando que "não houve cessão de uso de ponto de rede, laptops ou computadores na sede da Fundação BB" para a equipe de transição.

Na segunda-feira, um integrante da transição de governo havia dito que a equipe tem evitado usar as redes de internet e os computadores cedidos pelo governo federal por questões de segurança, preferindo usar a rede de internet da Fundação Banco do Brasil. Segundo esse integrante, a fundação também havia cedido cerca de 20 laptops para a equipe.

Da mesma forma, a transição dispensou equipes de segurança enviadas pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência, assim como secretárias e outro pessoal de apoio.

(Reportagem de Victor Borges e Lisandra Paragussu)