Notícias da semana - As manchetes que repercutiram no Brasil e no mundo

Luciana Pioto
·2 minuto de leitura

Dois milhões de doses da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, pousaram na manhã desta sexta-feira (18) no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.

A vacina, que vem causando atritos públicos entre o governador João Doria (PSDB) e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), precisa do aval da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para ser aplicada no país.

O imunizante está atualmente em fase 3 de testes. A expectativa é que os resultados definitivos de eficácia sejam divulgados na próxima semana.

Bolsonaro fala em assinar "termo" antes de tomar vacina

Jair Bolsonaro (sem partido) tem colecionado declarações que põem em cheque a importância das vacinas contra a Covid-19. Na noite desta segunda-feira (14), o presidente confirmou que tem pronta uma Medida Provisória que aportará R$ 20 bilhões na compra de imunizantes contra a Covid-19, mas fez questão de ressaltar: quem optar pela vacina terá que assinar um “termo de responsabilidade".

Maia nega omissão e diz que impeachment de Bolsonaro tiraria foco da covid

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), negou nesta segunda-feira (14), em entrevista ao jornal Valor Econômico, ter sido omisso ao não abrir um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. "Estamos com uma pandemia que voltou a crescer e essa deve ser nossa prioridade", disse.

“Não há condições para se avaliar esse tema, o que não quer dizer que eu avaliaria nem positivamente nem negativamente. Não considero omissão da minha parte", completou. Cerca de 60 pedidos de impeachment contra Bolsonaro já foram apresentados na Câmara.

Joe Biden tem vitória confirmada pelo Colégio Eleitoral

O Colégio Eleitoral oficializou nesta segunda-feira (14) a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais dos Estados Unidos. A decisão é mais um passo em direção à Casa Branca, confirmando sua vitória eleitoral no dia 3 de novembro e praticamente encerrando a tentativa improvável do presidente Donald Trump de reverter os resultados.

Com alta nos casos de Covid-19, Justiça determina que turistas deixem Búzios (RJ) em 72h

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro determinou nesta quarta-feira (16) que a cidade de Búzios, na Região dos Lagos fluminense, volte para a bandeira vermelha de combate à pandemia do novo coronavírus. Por isso, é preciso que turistas deixem o município em até 72h. O prazo começou a contar a partir do início desta quinta-feira (17).