Notícias do dia - O que você precisa saber para começar a sexta

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
Funcionário desinfeta ambulância que transportou paciente suspeito de Covid-19 em hospital de Brasília, no dia 23 de março de 2021
Funcionário desinfeta ambulância que transportou paciente suspeito de Covid-19 em hospital de Brasília, no dia 23 de março de 2021 (AP Photo/Eraldo Peres)

Covid-19: Brasil registra 100 mil casos em 24h pela 1ª vez, Bolsonaro: Auxílio deve começar a ser pago em 4 ou 5 de abril, Associação médica tenta 'banir' cloroquina no Brasil, Janssen pede autorização de uso emergencial da vacina, Mourão: Número de mortes 'ultrapassou o limite do bom senso', Justiça Federal derruba lei que obriga entidades a doar vacinas ao SUS, Bolsonaro distorce fala de Merkel sobre lockdown na Alemanha e Covas anuncia vacinação de moradores de rua em SP.

Confira o que você precisa saber para começar a sexta-feira, dia 26 de março de 2021:

Covid-19: Brasil registra 100 mil casos em 24h pela 1ª vez

O Brasil registrou 2.787 novas mortes pelo novo coronavírus e 100.736 casos da doença nesta quinta (25). Com isso, o total de mortos chegou a 303.462 e o de casos a 12.320.169, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Bolsonaro: Auxílio deve começar a ser pago em 4 ou 5 de abril

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez uma live mais curta que o habitual nesta quinta-feira (25), falando por cerca de 20 minutos. Ele anunciou a provável data do início do novo auxílio emergencial, criticou mais uma vez a política do 'fica em casa e feche tudo' e afirmou que o país pode começar a produzir a própria vacina em três meses. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Associação médica tenta 'banir' cloroquina no Brasil

O novo presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), o médico César Eduardo Fernandes, afirmou nesta quinta-feira (25) que a "autonomia do médico não dá o direito de prescrever remédios ineficazes" contra a Covid-19. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Janssen pede autorização de uso emergencial da vacina

Na última quarta-feira (24), a Janssen enviou à Anvisa o pedido de uso emergencial da vacina contra a covid-19. O imunizante desenvolvido pela farmacêutica da Johnson&Johnson é o único aplicado em dose única atualmente. A Anvisa informou que já começou a triagem dos documentos enviados pela Janssen. Caso falte algum dado importante, a agência reguladora pode pedir informações ao laboratório. A expectativa é que a análise seja feita em até 7 dias úteis. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Mourão: Número de mortes 'ultrapassou o limite do bom senso'

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta quinta-feira (25), em entrevista no Palácio do Planalto, que o número de mortes por Covid-19 no Brasil “ultrapassou o limite do bom senso". “Agora vamos enfrentar o que está aí e tentar de todas as formas diminuir a quantidade de gente contaminada e, obviamente, o número de óbitos que, pô, já ultrapassou o limite do bom senso", disse Mourão. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Justiça Federal derruba lei que obriga entidades a doar vacinas ao SUS

O juiz substituto Rolando Valcir Spanholo, da 21ª Vara Federal Cível do Distrito Federal, autorizou nesta quinta-feira três entidades a importarem vacinas contra a Covid-19 sem realizar a doação de imunizantes ao Sistema Único de Saúde (SUS), como prevê lei federal editada neste mês. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Bolsonaro distorce fala de Merkel sobre lockdown na Alemanha

Jair Bolsonaro (sem partido) distorceu uma fala da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, para atacar novamente os pedidos por lockdown no Brasil. Em rápido encontro com seus apoiadores nesta quinta-feira, em Brasília, o presidente repercutiu a decisão do país europeu de recuar após anunciar medidas mais rígidas de isolamento. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Covas anuncia vacinação de moradores de rua em SP

A gestão Bruno Covas (PSDB) anunciou nesta quinta-feira (25) a vacinação de funcionários de várias áreas da saúde acima de 53 anos, moradores de rua, trabalhadores da assistência social e de cemitérios. O anúncio foi feito em entrevista coletiva sobre medidas de combate ao coronavírus. LEIA A MATÉRIA COMPLETA