Notícias do dia - O que você precisa saber para começar a sexta

·3 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - APRIL 23: Vails of CoronaVac vaccine are seen on the production line of CoronaVac, Sinovac Biontech's vaccine against COVID-19 at Butantan biomedical production center on April 23, 2021 in Sao Paulo, Brazil. While Butantan Institute works on developing its own vaccines, continues to produce the Chinese CoronoVac developed in partnership with the Chinese laboratory Sinovac Biontech. Brazil already announced that due to lack of vaccines, will finish inoculating high risks groups by September and not by May as it had been announced. The Butantan Institute requested authorization to the Sanitary Surveillance Agency (ANVISA) to start clinical tests with Butanvac, a new vaccine against COVID-19 100% developed in Brazil. (Photo by Alexandre Schneider/Getty Images)
Linha de produção da CoronaVac no Instituto Butantan, em São Paulo (Alexandre Schneider/Getty Images)

Covas: País poderia ter 100 milhões de vacinas até maio, Bolsonaro vai ao STF contra restrições em 3 estados, CPI: Negociação com Butantan foi paralisada após fala de Bolsonaro, CPI: 'O Brasil poderia ser o 1º país do mundo a vacinar', Covas: Governo Bolsonaro não investiu na CoronaVac, CPI: ataques a Coronavac afetaram testes da vacina, Covid-19: Com casos em alta, Queiroga admite 3ª onda e Brasil tem desemprego recorde no 1º trimestre.

Confira o que você precisa saber para começar a sexta-feira, dia 28 de maio de 2021:

Covas: País poderia ter 100 milhões de vacinas até maio

Em 7 de outubro de 2020, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, enviou um ofício ao Ministério da Saúde oferecendo 100 milhões de doses da CoronaVac, vacina produzida em parceria com a SinoVac. Segundo Covas, o governo federal deu uma "sinalização muito positiva" de que o imunizante seria aceito. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Bolsonaro vai ao STF contra restrições em 3 estados

Em meio ao risco de uma terceira onda da pandemia de Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pediu para o Supremo Tribunal Federal (STF) suspender medidas restritivas adotadas nos últimos dias por três estados: Paraná, Pernambuco e Rio Grande do Norte. LEIA A MATÉRIA COMPLETA 

CPI: Negociação com Butantan foi paralisada após fala de Bolsonaro

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado ouve nesta quinta-feira (27) o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas. Em sua fala inicial, Covas explicou sobre a negociação da CoronaVac, vacina do laboratório chinês Sinovac e desenvolvida no Brasil pelo Instituto Butantan, com o governo federal. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

CPI: 'O Brasil poderia ser o 1º país do mundo a vacinar'

O presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou à CPI da Covid nesta quinta-feira (27) que a vacinação no Brasil poderia ter começado antes "se todos os atores" tivessem colaborado. Segundo Covas, o laboratório tinha quase 10 milhões de doses prontas em dezembro do ano passado. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

CPI: ataques a Coronavac afetaram testes da vacina

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou nesta quinta-feira (27), que a campanha difamatória contra a Coronavac nas redes sociais atrapalhou o recrutamento de voluntários para os testes clínicos. A vacina é produzida pelo instituto paulista em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Covas: Governo Bolsonaro não investiu na CoronaVac

Em depoimento à CPI da Covid no Senado, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, explicou que a instituição não recebeu nenhum tipo de investimento do governo federal para a CoronaVac. O Butantan solicitou valores, mas o Ministério da Saúde não disponibilizou o dinheiro. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Covid-19: Com casos em alta, Queiroga admite 3ª onda

Os números de novos casos e de internações por Covid-19 voltaram a crescer nos últimos dias e atingiram patamares próximos aos registrados no auge da segunda onda da pandemia, entre março e abril. Na tentativa de frear o contágio, ao menos quatro estados anunciaram ontem medidas mais rígidas de funcionamento do comércio. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, admitiu que há uma “tendência de aumento de casos”, ao falar durante audiência na Câmara dos Deputados, e disse que será necessário “trabalhar juntos para que se possa evitar essa terceira onda”. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Brasil tem desemprego recorde no 1º trimestre

O primeiro trimestre de 2021 terminou com a maior taxa de desemprego e o maior contingente de pessoas sem trabalho na série histórica, em meio aos desafios impostos pela piora da pandemia de Covid-19 no Brasil. LEIA A MATÉRIA COMPLETA