Notícias do dia - O que você precisa saber para começar a sexta

Paciente de Covid-19 durante tratamento de ventilação não-invasiva em hospital de Manaus, no Amazonas (Lucas Silva/picture alliance via Getty Images)

Coronavírus: Brasil registra recorde de mortes pelo 3º dia seguido, Bolsonaro solicitou repasse dos R$ 83,9 milhões do Bolsa Família à Secom, autores de estudo que contraindicava cloroquina pedem que artigo seja retirado de revista, Governo aproveita pandemia para aumentar limite de pontos na CNH e tentar liberar porte de arma, Bolsonaro diz que 'acertou' com Guedes mais duas parcelas do auxílio emergencial, ação da PGR contra Witzel tem erro e lacunas, Mandetta ironiza uso da cloroquina no tratamento do coronavírus, Bolsonaro chama manifestantes contrários de "terroristas" e Procuradoria afirma que Adélio agiu sozinho na facada em Bolsonaro.

Confira o que você precisa ficar sabendo para começar a sexta-feira, dia 5 de junho de 2020:

Coronavírus: Brasil registra recorde de mortes pelo 3º dia seguido

O Ministério da Saúde atualizou para 34.021 o número de mortes em decorrência do novo coronavírus no Brasil nesta quinta-feira (4). Ao todo, também foram confirmados 584.016 casos da Covid-19 no país. Pelo terceiro dia consecutivo, o Brasil registrou um recorde de mortes contabilizadas nas últimas 24 horas, desta vez com 1.473, 124 a mais que o número de quarta. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Bolsonaro solicitou repasse dos R$ 83,9 milhões do Bolsa Família à Secom

Partiu da Presidência da República o pedido para que fossem repassados à Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República) os R$ 83,9 milhões que seriam destinados ao Programa Bolsa Família. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Autores de estudo que contraindicava cloroquina pedem que artigo seja retirado de revista

Autores do estudo que contraindicava a cloroquina, que havia sido publicado na revista científica “The Lancet”, pediram para que o artigo seja ‘despublicado’. A revista publicou uma nota de retratação na qual explica que os cientistas não conseguiram “completar uma auditoria independente dos dados que sustentam a análise”. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Governo aproveita pandemia para aumentar limite de pontos na CNH e tentar liberar porte de arma

O Palácio do Planalto parece ter aceitado a sugestão do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, de aproveitar o momento da pandemia do coronavírus para “passar a boiada”. O governo cobrou o apoio do Centrão para dar prioridade a esses assuntos. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Bolsonaro diz que 'acertou' com Guedes mais duas parcelas do auxílio emergencial

Jair Bolsonaro (sem partido) garantiu que “acertou” mais duas parcelas do auxílio emergencial com o ministro da Economia, Paulo Guedes, mas que ainda precisa precisa definir o valor. O valor das parcelas iniciais era de R$ 600, mas o presidente estuda diminuir o valor. O auxílio é uma forma de tentar minimizar a crise social gerada pela pandemia do novo coronavírus. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Ação da PGR contra Witzel tem erro e lacunas

A representação da Procuradoria-Geral da República que motivou a Operação Placebo, contra o governador Wilson Witzel (PSC-RJ), contém erro e fragilidades em parte das suspeitas levantadas contra o investigado. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Após sair de ministério, médico vê atuação 'pífia' de Bolsonaro na pandemia

Julio Croda, ex-chefe do departamento de imunização e doenças transmissíveis do Ministério da Saúde na gestão de Luiz Henrique Mandetta, revelou ao jornal El País que os integrantes da pasta já esperavam uma falta de respostas efetivas do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Mandetta ironiza uso da cloroquina no tratamento do coronavírus

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, que é médico, ironizou a recomendação da cloroquina pelas autoridades brasileiras. Durante uma fala no Brazil Conference at Harvard & MIT, o médico não citou nomes, mas criticou a medida. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Bolsonaro chama manifestantes contrários de "terroristas", "idiotas" e "viciados"

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) usou boa parte da sua live semanal nesta quinta-feira (4) para atacar os manifestantes contrários ao governo que saíram às ruas no último domingo. Bolsonaro chamou os ativistas, que se identificaram como antifascistas, de "idiotas" e convocou seu assessor Filipe Martins para falar sobre o assunto. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Adélio agiu sozinho na facada em Bolsonaro, conclui Procuradoria

O Ministério Público Federal em Minas Gerais se manifestou pelo arquivamento provisório do segundo inquérito policial que apura a possível participação de terceiros no atentado contra o presidente Jair Bolsonaro na campanha eleitoral de 2018. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.