Notícias do dia - O que você precisa saber para começar a quarta

Redação Notícias
·5 minuto de leitura
Sepultamento de vítima de Covid-19 no Cemitério Vila Formosa, em São Paulo, no dia 11 de março de 2021
Sepultamento de vítima de Covid-19 no Cemitério Vila Formosa, em São Paulo, no dia 11 de março de 2021 (AP Photo/Andre Penner)

Covid-19: Brasil tem 4 mil mortes em 24h pela 1ª vez, 4 mil mortes e um país colapsado: o que está acontecendo com o Brasil?, mais da metade da população não tem garantia de comida na mesa no Brasil, Covid-19: Estudo aponta alto risco em igrejas, Câmara facilita compra de vacinas por empresas, São Paulo registra mais altas médicas do que internações em UTIs pela primeira vez em 50 dias, Sputnik V: Bolsonaro negocia compra da vacina russa contra a covid-19, Bolsonaro diz ao STF não ter culpa por atraso de vacinas, EUA: Todos adultos poderão se vacinar até fim de abril, falsa enfermeira que vacinou empresários em BH é investigada por mais imunizações fraudulentas e MP pede ao TCU investigação sobre gastos com férias de Bolsonaro.

Confira o que você precisa saber para começar a quarta-feira, dia 7 de abril de 2021:

Covid-19: Brasil tem 4 mil mortes em 24h pela 1ª vez

O Brasil registrou 4.195 novas mortes pelo novo coronavírus e 86.979 casos da doença nesta terça (6). Com isso, o total de mortos chegou a 336.947 e o de casos a 13.100.580, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

4 mil mortes e um país colapsado: o que está acontecendo com o Brasil?

As piores expectativas se concretizaram: pela primeira vez desde que a pandemia do coronavírus começou em março de 2020, o Brasil superou a marca de 4 mil mortes. O número exato, 4.195 óbitos, foi divulgado nesta terça-feira (6) pelo Conass. O número era esperado e não só desde hoje. Quando São Paulo bate recordes, o país costuma bater. E o estado mais rico do país chegou hoje a impressionantes 1.389 mortos em apenas 24h de acordo com dados divulgados também nesta terça. E pode ficar pior. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Mais da metade da população não tem garantia de comida na mesa no Brasil

Pela primeira vez em 17 anos, mais da metade da população não teve certeza se haveria comida suficiente em casa no dia seguinte, teve que diminuir a qualidade e a quantidade do consumo de alimentos e até passou fome. São 116,8 milhões de pessoas nessa situação de insegurança alimentar no Brasil, de acordo com pesquisa divulgada na segunda-feira pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), que reúne pesquisadores e professores ligados à segurança alimentar. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Covid-19: Estudo aponta alto risco em igrejas

Estudos científicos internacionais já indicaram riscos elevados de transmissão do novo coronavírus durante a realização de missas e cultos religiosos presenciais. De acordo com os especialistas, esse tipo de evento reune diversos fatores que facilitam a propagação da Covid-19 como: reunir grande quantidade de pessoas em espaços fechados, com os presentes falando alto e cantando. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Câmara facilita compra de vacinas por empresas

Na noite desta terça (6), a Câmara dos Deputados aprovou o texto-base de um projeto de lei que permite que a iniciativa privada compre vacinas e comece a imunização de seus funcionários antes do fim dos grupos prioritários definidos pelo SIstema Único de Saúde (SUS). LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Pela primeira vez em 50 dias, São Paulo registra mais altas médicas do que internações em UTIs

Depois de quase dois meses, o estado de São Paulo teve nesta terça-feira mais altas médicas do que internações nas UTIs. A revelação foi feita pelo coordenador executivo do Cento de Contingência de Combate ao Coronavírus do Governo de São Paulo, João Gabbardo, nas redes sociais. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Sputnik V: Bolsonaro negocia compra da vacina russa contra a covid-19

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está negociando a compra da Sputnik V, vacina russa contra a covid-19. A ideia é que o imunizante seja importando e também produzido no Brasil. Nas redes sociais, Bolsonaro divulgou um vídeo ao lado do presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, e também com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para explicar as negociações. Segundo o presidente, ele e Vladimir Putin, presidente da Rússia, falaram ao telefone para encaminhar as tratativas. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Bolsonaro diz ao STF não ter culpa por atraso de vacinas

O governo federal enviou ao Supremo Tribunal Federal documento alegando que não pode ser responsabilizado pelo atraso na imunização contra a covid-19 no Brasil. A declaração foi feita depois de a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pedir que a PGR oferecesse uma denúncia ao STF. A OAB queria que o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), fosse processado por quatro crimes envolvendo o processo de vacinação. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

EUA: Todos adultos poderão se vacinar até fim de abril

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta terça-feira que todos os adultos do país serão aptos para receber vacinas contra a covid-19 até 19 de abril, vários dias antes do já ambicioso objetivo anterior - informou uma fonte do governo. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Falsa enfermeira que vacinou empresários em BH é investigada por mais imunizações fraudulentas

A cuidadora de idosos Cláudia Mônica Pinheiro Torres, que se apresentou como enfermeira para vacinar um grupo de empresários em Belo Horizonte, é investigada por outros esquemas de imunização fraudulentos. De acordo com informações da TV Globo, a Polícia Federal investiga envolvimento de Cláudia em um esquema de vacinação dentro de um condomínio de luxo no bairro Gutierrez, Região Oeste de Belo Horizonte. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

MP pede ao TCU investigação sobre gastos com férias de Bolsonaro

O Ministério Público pediu ao Tribunal de Contas da União (TCU) que investigue os gastos do governo com as férias de Jair Bolsonaro. As férias de fim de ano do presidente em Santa Catarina e no Guarujá (SP), do dia 18 de dezembro a 5 de janeiro, custaram aos cofres públicos R$ 2.452.586,11. LEIA A MATÉRIA COMPLETA