Notícias do dia - O que você precisa saber para começar a quinta

Redação Notícias
·4 minuto de leitura
Cemetery workers wearing protective gear carry the coffin of a person who died from complications related to COVID-19 to a gravesite at the Vila Formosa cemetery in Sao Paulo, Brazil, Wednesday, April 7, 2021. The city of Sao Paulo started on Wednesday the digging of 600 additional graves every day in its municipal cemeteries. (AP Photo/Andre Penner)
Sepultamento de vítima de Covid-19 no Cemitério Vila Formosa, em São Paulo, no dia 7 de abril de 2021 (AP Photo/Andre Penner)

Covid-19: Brasil registra 3.829 mortes em 24 horas, Butantan suspende produção da CoronaVac por falta de insumos, estudo aponta que Coronavac é eficaz contra variante brasileira, governo diz que variante sul-africana detectada em Sorocaba é a que apresenta maior resistência à vacina, hospitais militares com leitos vazios não atendem civis, ex-ministro da Justiça diz que 'Cristãos estão dispostos a morrer por liberdade', Bolsonaro defende abertura de igrejas sem dado que comprove: "Último lugar procurado antes do suicídio" e Kalil pede que ministro vá a UTI antes de liberar cultos.

Confira o que você precisa saber para começar a quinta-feira, dia 8 de abril de 2021:

Covid-19: Brasil registra 3.829 mortes em 24 horas

O Brasil registrou 3.829 novas mortes pelo novo coronavírus e 92.625 casos da doença nesta terça (6). Com isso, o total de mortos chegou a 340.776 e o de casos a 13.193.205, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Butantan suspende produção da CoronaVac por falta de insumos

O Instituto Butantan paralisou a produção da CoronaVac, principal imunizante utilizado pelo Brasil na campanha de vacinação contra o coronavírus, por causa da falta de matéria-prima, fornecida pelo laboratório chinês Sinovac. A informação foi revelada pela CNN Brasil. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Coronavac é eficaz contra variante brasileira, aponta estudo

A Coronavac, vacina contra a covid-19 produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, é 50% eficaz contra a P1, variante brasileira do coronavírus. A efetividade do imunizante começa a valer a partir de 14 dias depois da primeira dose. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Covid-19: Variante sul-africana detectada em Sorocaba é a que apresenta maior resistência à vacina, diz governo

O governo de São Paulo voltou a falar, nesta quarta-feira (7), da variante sul-africana da Covid-19 identificada em um paciente de 34 anos, que vive Sorocaba, no interior do estado. Segundo o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, trata-se de uma variante que até agora apresentou a "maior resistência a neutralização das vacinas" contra o coronavírus. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Com leitos vazios, hospitais militares não atendem civis

Após determinação do TCU (Tribunal de Contas da União), as Forças Armadas abriram, pela primeira vez na pandemia, os dados sobre ocupação de leitos para pacientes com Covid-19 nos hospitais militares. As planilhas mostram que as Forças bloquearam leitos à espera de militares em enfermarias e UTIs e que há unidades com até 85% de vagas ociosas. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

'Cristãos estão dispostos a morrer por liberdade', diz ex-ministro da Justiça

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar, nesta quarta-feira (7), a liberação de celebrações religiosas presenciais, como cultos e missas, em meio ao pior momento da pandemia de Covid-19 no Brasil. No começo da sessão, o advogado-geral da União e ex-ministro da Justiça, André Mendonça, defendeu que os cultos devem ser autorizados e "os verdadeiros cristãos estão sempre dispostos a morrer para garantir a liberdade de religião e de culto". LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Sem dado que comprove, Bolsonaro defende abertura de igrejas: "Último lugar procurado antes do suicídio"

Com mais um recorde de mortes de pela covid-19 no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro defendeu a abertura de igrejas durante a pandemia, sendo que estudos científicos internacionais já indicaram riscos elevados de transmissão do novo coronavírus durante a realização de missas e cultos religiosos presenciais. De acordo com os especialistas, esse tipo de evento reúne diversos fatores que facilitam a propagação da Covid-19 como: reunir grande quantidade de pessoas em espaços fechados, com os presentes falando alto e cantando. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Kalil pede que ministro vá a UTI antes de liberar cultos

Prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD-MG) voltou a manifestar sua insatisfação com a decisão do ministro Kássio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), permitindo a realização de cultos e missas presenciais no pico da pandemia de coronavírus. LEIA A MATÉRIA COMPLETA