Notícias do dia - O que você precisa saber para começar a quarta

·4 minuto de leitura
Brazilian Health Minister Marcelo Queiroga speaks during a session of the Parliamentary Committee of Inquiry that will investigate the government's handling of the coronavirus pandemic in Brasilia on June 8, 2021. (Photo by EVARISTO SA / AFP) (Photo by EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Marcelo Queiroga em depoimento na CPI da Covid-19 (EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

CPI da Covid: "Sou ministro da Saúde, não censor do presidente", diz Queiroga, CPI: Queiroga afirma que não foi consultado sobre pedido de Bolsonaro paro vetar lockdown, CPI: Queiroga diz desconhecer 'ministério paralelo' de Bolsonaro, CPI: Queiroga admite que não leu bulas de vacinas, TCU irá apurar quem passou dados falsos a Bolsonaro, 'Bingo do Heinze': como Mia Khalifa foi parar na CPI e Comissão da Câmara aprova texto que libera cultivo de maconha por empresas.

Confira o que você precisa saber para começar a quarta-feira, dia 9 de junho de 2021:

CPI : "Sou ministro da Saúde, não censor do presidente", diz Queiroga

Questionado sobre o hábito do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de não usar máscaras durante a pandemia, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga se defendeu e disse que não atua como "censor" de Bolsonaro. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

CPI: Queiroga afirma que não foi consultado sobre pedido de Bolsonaro paro vetar lockdown

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que não foi consultado sobre a decisão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de entrar no Supremo Tribunal Federal com uma ação contra o lockdown e o toque de recolher. Ao ser questionado sobre o tema, Queiroga, inicialmente, afirmou tratar-se um assunto jurídico e que, por isso, não lhe caberia opinar. Após insistência do relator da CPI da Covid no Senado, Renan Calheiros (MDB-AL), Queiroga mudou a resposta. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

CPI: Queiroga diz desconhecer 'ministério paralelo' de Bolsonaro

À Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado, nesta terça-feira (8), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que desconhece um “ministério paralelo” de aconselhamento ao presidente Jair Bolsonaro a respeito da condução da pandemia do coronavírus. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

CPI: Queiroga admite que não leu bulas de vacinas

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, assumiu à CPI da Covid que não leu as bulas da vacinas usadas no Brasil contra o coronavírus. A resposta foi dada ao senador Otto Alencar (PSD-BA), que é médico e tem usado o espaço na comissão para fazer perguntas de caráter técnicos ao depoentes. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Covid-19: Brasil é o segundo país com mais mortes de crianças até 9 anos

O Brasil é o segundo país em todo o mundo com maior número de mortes de crianças entre 0 e 9 anos por Covid-19. Foi o que constatou um estudo divulgado pelo Estadão nesta terça-feira. De acordo com dados levantados pelo jornal junto ao Sistema de Informação de Vigilância da Gripe (Sivep-Gripe), foram 948 mortes de crianças desta faixa etária desde o início da pandemia até meados de maio. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

TCU irá apurar quem passou dados falsos a Bolsonaro

A presidência do Tribunal de Contas da União (TCU) abriu sindicância interna para descobrir qual servidor teria alterado informações de documentos oficiais da Corte e as enviado ao presidente Jair Bolsonaro. Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (7) que um relatório do TCU lançava dúvida sobre o número de óbitos por Covid-19 no Brasil, dos quais 50% teriam sido por outras causas. O órgão desmentiu a informação passada ao Palácio do Planalto. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

'Bingo do Heinze': como Mia Khalifa foi parar na CPI

Senador Luiz Carlos Heinze, integrante da tropa de choque do presidente Jair Bolsonaro na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado, é defensor do chamado “tratamento precoce” com medicamentos comprovadamente ineficaz contra a covid. O parlamentar defende o uso do 'kit covid', com medicamentos como cloroquina e hidroxocloroquina, ivermectina e azitromicina. LEIA A MATÉRIA COMPLETA

Comissão da Câmara aprova texto que libera cultivo de maconha por empresas

A Comissão especial da Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (8), um projeto que libera o cultivo de cannabis — popularmente conhecida como maconha — por empresas para fins medicinais e industriais. A votação ficou empatada em 17 a 17. Coube ao relator da matéria, deputado federal Luciano Ducci (PSB-PR), desempatar. O médico votou a favor da liberação. Ou seja, o texto foi aprovado de forma conclusiva. LEIA A MATÉRIA COMPLETA