Notre-Dame está 'quase a salvo', segundo ministro francês da Cultura

Catedral de Notre-Dame de Paris em 19 de abril de 2019

A catedral Notre-Dame de Paris está "quase a salvo", apesar de alguns "pontos sensíveis" na abóboda, informou neste sábado à noite o ministro da Cultura francês, Franck Riester, durante um concerto em homenagem ao monumento, cinco dias depois do incêndio.

"Notre-Dame está hoje quase a salvo porque todos os pontos sensíveis que restavam - o frontão norte, o frontão oeste, entre as duas torres da fachada, a torre do sino sul -, todos estes pontos foram estabilizados", explicou Riester.

"Resta a abóboda. Há ainda alguns pontos sensíveis e equipes do ministério da Cultura estão trabalhando para remover os detritos", disse ele.

"A partir daí, poderemos dizer que Notre-Dame de Paris está segura", acrescentou no Hotel des Invalides, no centro de Paris, que sediou um grande concerto durante o qual dezenas de artistas subiram ao palco.

"Há 300.000 pessoas que espontaneamente fizeram doações, mesmo que modestas, de um euro, dois euros cinco euros: total de quase 20 milhões de pessoas que fizeram doações bastante modestas", comemorou o apresentador de rádio e televisão Stéphane Bern, citando números da Fundação Heritage.

"Notre-Dame é um santuário religioso, mas também nos comove pois é uma obra-prima da arquitetura gótica, uma joia do nosso patrimônio, é um livro de nossa história", acrescentou.

Dezenas de artistas se apresentaram durante a noite, como Mireille Mathieu, os jovens cantores da Croix de Bois, o violoncelista Gauthier Capuçon e o pianista chinês Lang Lang.