Nova acusação mais grave complica governador de Nova York

·2 minuto de leitura
O governador de Nova York, Andrew Cuomo, em 8 de março de 2021

Acusado por várias mulheres de assédio sexual, o governador de Nova York enfrenta agora uma denúncia mais grave de uma funcionária que o acusa de ter colocado a mão sob a blusa dela e de tê-la tocado de forma "agressiva", informou a imprensa local nesta quarta-feira (10).

O jornal Times-Union, com sede em Albany - capital do estado e onde o governador tem residência oficial -, cita uma fonte anônima "com conhecimento direto das denúncias" da funcionária, também não identificada.

Segundo a fonte, a cena ocorreu na residência oficial do poderoso governador democrata, que ficou sozinho com aquela funcionária, bem mais jovem que ele, depois que ela lhe pediu ajuda com um problema no celular.

A mulher, que não apresentou queixa formal, também disse que o governador a tocou de forma inadequada em outras ocasiões, acrescentou o jornal.

Questionado pela mídia, o governador André Cuomo, 63, rejeitou a acusação e afirmou "nunca ter feito algo assim", descrevendo a acusação como "dolorosa".

O Times-Union revelou na terça-feira que uma sexta mulher acusou o governador de tocá-la indevidamente no final de 2020 em sua residência oficial em Albany, mas sem dar mais detalhes sobre o caso.

Cuomo repetiu que "nunca tocou em ninguém de forma inadequada".

As mulheres que o acusaram anteriormente relataram assédio sexual ou gestos inadequados, mas não afirmaram ter sido tocadas em partes íntimas.

As alegações mais sérias até agora foram as de sua ex-assessora Lindsey Boylan, que alegou no final de fevereiro ter sido beijada sem consentimento pelo governador. O político também teria sugerido jogar strip poker com ela, que trabalhou com Cuomo entre 2015 e 2018.

Cuomo, que se tornou uma estrela nacional no ano passado por seu gerenciamento da pandemia de covid-19, caiu em desgraça desde que o escândalo estourou, recebendo críticas até mesmo dos democratas.

O governador pediu aos nova-iorquinos que esperassem os resultados de uma investigação sobre as alegações, supervisionada pela procuradora do Estado de Nova York, Letitia James.

Essa investigação está apenas começando e pode levar meses.

Os legisladores republicanos iniciaram, ao mesmo tempo, procedimentos de impeachment perante o Parlamento de Nova York, onde os democratas são maioria, com um resultado incerto.

O impeachment requer maioria simples na Câmara Baixa e dois terços no Senado estadual.

cat/rle/mls/am