Nova atividade em reator nuclear norte-coreano é "perturbadora", diz AIEA

·1 minuto de leitura
Sede da Agência Internacional de Energia Atômica em Viena

Por Francois Murphy e Josh Smith

VIENA/SEUL (Reuters) - A Coreia do Norte parece ter religado um reator nuclear que muitos acreditam produzir plutônio para armas nucleares, disse a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em um relatório anual, sublinhando os esforços norte-coreanos para ampliar seu arsenal.

Os sinais de operação no reator de 5-megawatt (MW), considerado capaz de produzir plutônio adequado para armas, foram os primeiros a serem detectados desde 2018 e são "profundamente perturbadores", disse a agência das Nações Unidas no relatório divulgado na sexta-feira passada.

"Desde o início de julho de 2021, há indicações, incluindo a liberação de água de resfriamento, condizentes com a operação", disse o relatório da AIEA sobre o reator de Yongbyon, complexo nuclear no cerne do programa nuclear norte-coreano.

Mais plutônio poderia ajudar a Coreia do Norte a fabricar armas nucleares menores para mísseis balísticos, disse David Albright, presidente do Instituto para a Ciência e a Segurança Internacional.

"O xis da questão é que a Coreia do Norte quer melhorar o número e a qualidade de suas armas nucleares", acrescentou ele.

Embora a inteligência sobre as armas nucleares norte-coreanas seja limitada, o que torna impossível conhecer seu número, Albright estimou que o país tem capacidade para produzir material para quatro a seis bombas por ano.

A AIEA não tem acesso à Coreia do Norte desde que o país expulsou os inspetores da agência, em 2009, e o monitoramento é feito principalmente através de imagens de satélite.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos