Carros elétricos podem ter bateria que vai quintuplicar autonomia

·2 min de leitura
Solução para carros elétricos promete revolucionar o mercado
Solução para carros elétricos promete revolucionar o mercado
  • Nova tecnologia dos carros elétricos usa um composto de aramida, lítio e enxofre

  • Aramida é o principal material na composição de coletes de kevlar

  • Para líder da equipe de pesquisa, Kotov, bateria está "quase perfeita"

Uma nova bateria foi desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Michigan que promete revolucionar o mercado.

Formada a partir de nanofibras de kevlar reciclado, a tecnologia permite a produção de uma bateria composta de lítio e enxofre, que tem cinco vezes mais capacidade de carga que a tecnologia atual de íons de lítio.

Leia também:

Problema de carga das baterias normais

Hoje o principal problema que atinge as baterias, especialmente as dos EVs (veículos elétricos) é o ciclo de vida.

O termo é usado para definir a quantidade de vezes que uma bateria pode ser recarregada até que perca sua eficiência.

Esse problema é bastante visível nos smartphones, que após uns anos parecem não aguentar mais o mesmo número de horas sem recarregar quanto quando era novo.

A bateria de lítio e enxofre

Nicholas Kotov, líder da equipe de pesquisa, afirmou que a tecnologia de lítio e enxofre já era conhecida pela comunidade acadêmica.

No entanto, ainda restavam descobrir como aliar essa tecnologia de ponta com outros elementos fundamentais, como segurança e custo.

“A engenharia biomimética dessas baterias integra duas escalas: molecular e nanoescala. Pela primeira vez, então, integramos a seletividade iônica das membranas celulares e a resistência da cartilagem. Nossa abordagem de sistema integrado nos permitiu enfrentar os grandes desafios [de produção] da bateria de lítio-enxofre.”

Segundo Kotov, as baterias produzidas por sua equipe estão "quase perfeitas", com capacidade e eficiência muito próximas daquelas previstas pelos cálculos teóricos.

A nova bateria também é perfeita para lidar com temperaturas de calor e frio extremas, como as enfrentadas por um carro elétrico.

Por fim, ela é também mais ecologicamente sustentável que as baterias atuais, visto que o enxofre é um elemento muito mais abundante no meio ambiente que o cobalto utilizado nas baterias de íons de lítio. As fibras de aramida, por sua vez, podem ser facilmente adquiridas da reciclagem de coletes à prova de balas descartados por forças policiais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos