A nova cafetina de ‘Verdades secretas 2’ é uma devoradora! Conheça Blanche, feita pela atriz portuguesa Maria de Medeiros

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Sai de cena Fanny (Marieta Severo), entra Blanche (Maria de Medeiros). “Verdades secretas 2” estreia nesta quarta-feira (dia 20) no Globoplay apresentando uma nova dona para a agência de modelos em que a prostituição é prerrogativa. E a cafetina da vez se mostra tão ardilosa quando sua antecessora, ao que tudo indica...

— Blanche nunca é o que parece ser. Quando é doce, há uma dureza nela. Quando é dura, há uma ferida nela, uma fragilidade, um mistério. Tem momentos em que o seu comportamento é nocivo, trágico; outros, em que é solidária, generosa, cheia de alegria. Apesar da sua excentricidade, Blanche tem algo de desconcertantemente natural. O que mais me desafia neste papel são suas ambiguidades. Ela é, ao mesmo tempo, uma feiticeira e uma menina — define a atriz portuguesa, de 56 anos: — Todas essas nuances e esses comportamentos surpreendentes estão no texto do Walcyr (Carrasco, autor). É uma personagem repleta de facetas, que vão se revelando à medida em que mergulhamos mais nela.

Leia também:

Assim como Fanny, Blanche surge tendo um caso com um dos modelos de sua agência, Joseph (Ícaro Silva). Desta vez, no entanto, os outros dois vértices do triângulo amoroso serão o empresário Ariel (Sergio Guizé) e sua mulher, Laila (Érika Januza). Marido apaixonado, ele pede que Blanche aceite a amada em seu casting. Mas a agente ficará completamente obcecada pelo rapaz, fazendo tudo para acabar com o seu relacionamento.

— Essa fascinação de Blanche por Ariel é tão poderosa que nem ela controla, não sabe de onde vem. E entre ela e Laila há a tensão hipnótica de um predador diante de sua presa — comenta a atriz.

Leia também:

Quando foi convidada para assumir o papel de destaque na primeira novela original Globoplay, Maria estava confinada em Paris, acabando de escrever um novo projeto de longa-metragem.

— Recebi um e-mail de Bruno Safadi, um dos diretores de “Verdades secretas 2”, a quem conheço e admiro o trabalho há anos. Ele me falou da Blanche e da direção de Amora Mautner, que eu queria conhecer faz tempo. Foi uma coincidência de tempos perfeita. Se não estivéssemos todos confinados naquele momento, talvez fosse mais complicado eu fazer as malas e vir para cá — detalha ela, voltando a elogiar Carrasco: — Eu sempre trabalho muito a partir do texto. E o texto é muito bom. Rapidamente, deu para sentir que as personagens são complexas, cheias de nuances e contradições, o que as torna mais fascinantes e verdadeiras. Depois, vão nascendo do trabalho coletivo, das ideias dos diretores, mas também da figurinista, do caracterizador...

Leia também:

A caracterização de Blanche, assinala, é uma proposta forte e original.

— A cada prova de figurino, o maquiador ia cortando o meu cabelo mais curto e mudando a cor. Juntos, fomos desenhando a personagem — conta Maria, acrescentando: — Blanche está na moda como um peixe na água. Não é alguém que segue, mas que faz a sua própria moda. Conheço algumas pessoas assim em Paris. Elas assumem looks absolutamente pessoais, que não se parecem com nada da moda “do momento”. Seus looks são sua expressão artística, sua atitude em relação à vida.

Leia também:

Maria de Medeiros já dirigiu Marieta Severo no cinema

Com filmes famosos no currículo, como “Henry & June” (1990), de Philip Kaufman, e “Pulp fiction” (1994), de Quentin Tarantino, a atriz e cineasta portuguesa é grife internacional no elenco de “Verdades secretas 2” e abre caminhos para a produção ter maior visibilidade no exterior.

Esta não é a primeira vez, no entanto, que Maria trabalha no Brasil. Em 2018, ela dirigiu no Rio o filme “Aos nossos filhos”, que, curiosamente, tinha Marieta Severo no elenco.

Leia também:

— Assisti à primeira temporada de “Verdades secretas” e gostei muito. Foi um barato descobrir Marieta no papel de Fanny, tão diferente da Vera, protagonista de “Aos nossos filhos” — comenta, animada com a experiência de gravar com tempos muito mais curtos que no cinema para o streaming e a TV: — Tanto diretores quanto técnicos e atores têm uma grande exigência artística. Eu sempre admirei muito os atores brasileiros, é divertido e estimulante estar com este superelenco.

Leia também:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos