Nova contratação do Barcelona exigiu ser capitão e ter um dos melhores salários do elenco no Valencia

·1 min de leitura

O atacante Ferran Torres ainda não foi anunciado oficialmente pelo Barcelona, mas o técnico Pep Guardiola confirmou sua saída do Manchester City. Após uma temporada e meia pelo clube inglês, o espanhol volta a seu país natal, onde chocou após revelar suas exigências para renovar com o Valencia, clube que o revelou.

Na época, o atleta, então com 20 anos, foi contratado pelos ingleses por 23 milhões de euros após entrar em litígio para renovar seu contrato. Em uma entrevista bombástica ao jornal "Marca", revelou por que as negociações não foram à frente.

— Uma das condições era que Peter Lim (proprietário do clube) estivesse envolvido, para saber que eu era importante. A outra era ser capitão, como vi outros clubes fazendo (com jovens jogadores) e a terceira era ter um dos maiores salários. Queria duas das três condições, mas nenhuma delas foi cumprida.

No City, Ferran Torres não virou capitão, mas atuou em 43 jogos e marcou 16 gols. O Barcelona deve pagar 45 milhões de euros para ter o jogador, que volta a jogar em La Liga. Na Espanha, deve ter reencontros nada agradáveis com o Valencia e com Dani Parejo, ex-capitão do clube, hoje no Villarreal. O compatriota também foi alvo de críticas de Torres.

— É um grande jogador, mas nunca tivemos relação. Quando virei profissional aos 17, foram várias semanas até que ele me desse um simples "bom dia". Não foi um bom capitão para mim. O pior foi após a saída de Marcelino (técnico), quando eu e Lee Kang-in fomos considerados culpados no vestiário e eles pararam de falar conosco por semanas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos