Nova-iorquinos prontos para voltar às festas? Por enquanto só fora de casa

·2 minuto de leitura

Após 14 meses de restrições, os nova-iorquinos podem agora aproveitar uma cidade quase toda reaberta. Porém, prudentes como têm sido desde o início da pandemia, muitos hesitam em festejar e retomar sua vida social.

Yesenia Herra, de 33 anos, organizadora de jantares e festas para turistas e quem "adora sair", fez no final de semana passado sua primeira festa desde março de 2020, convidando 20 familiares e amigos para celebrar o primeiro aniversário de sua filha.

Pela "segurança" de seus convidados, "quase todos" completamente vacinados, foi organizado a céu aberto no Central Park, com mesas e talheres descartáveis, balões suspensos nas árvores e comida para alimentar um exército.

"Não fiz um 'baby shower' (festa de presentes para o bebê que nascerá, no Brasil conhecido como 'chá de bebê'), nem uma festa de retorno à maternidade", explicou à AFP. "É minha primeira celebração para ela, nem sequer lembrará, mas queria que soubesse que isso aconteceu".

Enquanto seus convidados pareciam felizes de se reencontrarem, muitos disseram que ainda não convidaram pessoas para sua casa, exceto os próximos que sabem com certeza que foram vacinados.

- E se a pandemia retornar? -

Lemuel Rodrigues, gerente de uma loja de presentes e mobília para festas em Manhattan, disse que os clientes começam a retornar. "A maioria das pessoas (que fazem uma festa) a organiza em casa, para um grupo pequeno, ou em um parque", concluiu.

Mesmo que sua loja fature menos, ele compreende a prudência persistente de sua clientela: muitos nova-iorquinos vacinados - mais de 60% da população adulta recebeu pelo menos uma dose da vacina - segue andando com máscaras nas ruas, mesmo que seu uso não seja mais obrigatório desde o final de abril.

Os bares e restaurantes da cidade podem funcionar normalmente desde quarta-feira, mas esta prudência tem ajudado Amanda Orso, que organiza festas pequenas, geralmente a domícilio.

Nas últimas semanas, foi contratada para organizar várias festas para pessoas ávidas em celebrar "simplesmente o fato de serem vacinadas". E até houve uma tendência, durante a pandemia, de servir bebidas em seringas.

Marcy Blum, que organiza festas de gala e casamentos para a elite rica da cidade, afirma que embora os locais de recepção não abram antes de novembro, as listas de reserva já estão cheias até abril de 2022.

O telefone começou a tocar há um mês, "quando ficou claro que todo mundo teria acesso à vacina", disse.

A festa do Met ou Met Gala, a maior festa beneficiente do mundo da moda, será o símbolo de uma retomada nas festividades: tradicionalmente celebrada em maio, foi cancelada em 2020 e neste ano acontecerá até 13 de setembro.

cat/lbc/lda/gf

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos