Nova linha de ônibus urbano no ABC Paulista terá assentos reservados via app

RAFAEL BALAGO
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O app Ubus e a viação Metra lançam nesta terça-feira (5) uma linha de ônibus que transportará somente passageiros que pedirem as viagens por aplicativo. A linha, chamada E-287, fará a ligação entre os terminais metropolitanos de Santo André e de Diadema, na Grande São Paulo, via corredor ABD. Ela seguirá o mesmo trajeto da linha 287, que segue operando. As viagens custarão R$ 7,50, independente da distância, e serão feitas em ônibus de padrão executivo, com assentos estofados, ar condicionado e wi-fi. Só será permitido viajar sentado. Na linha 287 regular, a passagem custa R$ 5,10. Os interessados precisarão baixar o app da Ubus, fazer um cadastro e solicitar a viagem, como em serviços como Uber e 99. Em seguida, será informado o tempo de espera até a vinda do ônibus e a previsão de chegada ao destino. O viajante poderá, então, marcar um assento e pagar, usando o cartão de crédito ou o BOM (Bilhete Ônibus Metropolitano). Será possível comprar viagens imediatas ou fazer reservas para embarcar nas próximas horas ou dias. “Transporte coletivo com previsibilidade é algo revolucionário”, diz Victor Gonzaga, diretor de operações da Ubus. “O passageiro pode ver, no app, quantas pessoas estarão no ônibus, e pode preferir pegar o próximo”, comenta. O trajeto soma cerca de 16 km, e será fixo. Nesta fase inicial, haverá 38 viagens diárias, e a expectativa é levar em torno de 1.500 passageiros por dia. O embarque será feito nos pontos tradicionais. Quando o ônibus estiver se aproximando, o usuário receberá um aviso para ir até a parada. Ao entrar no coletivo, o passageiro terá de apontar a câmera do celular para um QR code para confirmar seu embarque. A Ubus fornece a tecnologia, toda desenvolvida no Brasil, e a viação Metra fica responsável por operar os ônibus e manter a autorização para operar a linha, dada pela estatal paulista EMTU. Em 2019, a Ubus e a Metra anunciaram um serviço similar, que ligaria Diadema ao Brooklin, na zona sul de São Paulo. No entanto, a prefeitura da capital barrou a ideia pouco depois do início da operação. Desde dezembro, a Ubus atua em um serviço de vans chamadas por app, em São Bernardo do Campo (SP), ainda em fase experimental. A adoção de apps no transporte público abre muitas possibilidades, como a de que os ônibus atendam somente os pontos onde há passageiros e que possam seguir trajetos maleáveis, adaptados às necessidades dos passageiros em cada viagem. Apesar de promissora, essa tecnologia tem avançado de forma lenta no transporte urbano. A rigidez dos contratos entre viações e prefeituras, muito deles com duração de décadas, é apontada como uma das prinicipais razões para isso. A resistência de empresários e governos a tentar novos modelos é outro entrave.