Nova manifestação contra o confinamento na Pensilvânia

Centenas de pessoas protestaram nesta sexta-feira contra medidas de confinamento na Pensilvânia

Centenas de pessoas protestaram nesta sexta-feira (15) contra medidas de confinamento na Pensilvânia, segundo a AFP.

Os manifestantes se reuniram em Harrisburg, capital do estado, embora 49 dos 67 municípios estejam programados para flexibilizar as restrições desde 22 de maio.

O ato contou com menos pessoas do que o anterior, realizado em 20 de abril, segundo um fotógrafo da AFP.

Como no protesto passado, os participantes reclamaram das medidas tomadas pelo governador democrata, Tom Wolf, que consideram excessivas.

Entre os manifestantes, muitos dos quais não usavam máscaras ou respeitavam a distância entre as pessoas, os apoiadores do presidente Donald Trump além de gritar palavras de apoio a sua campanha para reeleição em novembro, também exiram cartazes com as palavras "egoísta e orgulhoso"

Nos debates altamente politizados sobre confinamento nos Estados Unidos, aqueles que não usam máscaras são chamados de egoístas.

A Pensilvânia, com 60.000 casos e mais de 4.300 mortes, foi menos afetada pelo coronavírus do que seus vizinhos Nova York e Nova Jersey.

Os protestos contra o confinamento multiplicaram-se nos Estados Unidos no último mês, especialmente nos estados mais disputados para as eleições presidenciais e com Trump, que quer normalizar a economia o mais rápido possível.

Pensilvânia, Michigan e Wisconsin são alguns desses estados nsa mira dos candidatos.

Em Wisconsin, a Suprema Corte do estado, cujos juízes são na maioria republicanos, anulou na quarta-feira a prorrogação do confinamento decidido pelo governador democrata Tony Evers.